segunda-feira, 24 de setembro de 2012

ITINERÁRIO A ASSIS - 26




























Nesta sexta feira, dia 21/09, o tema do dia foi “Nosso compromisso com a Profissão”; fomos bem cedo para a Basílica de São João de Latrão (em italiano se diz “San Giovanni in Laterano”). Por que fazer esta peregrinação até a Basílica? Porque Francisco de Assis chegou aí em 1209 para pedir ao Papa Inocêncio III a aprovação da sua Forma de Vida. Não trazia uma Regra de Vida elaborada, mas sim fragmentos do Evangelho com a Sagrada Palavra que ele queria viver, ao pé da letra, com seus primeiros companheiros.

O Papa não tinha como aprovar, pois faltava o toque canônico no que seria o texto espiritual normativo condutor de vidas; mas também não podia desaprovar porque era puro Evangelho. Não deu a Bula, deu a Bênção. Francisco entendeu a Bênção como consentimento e saiu daqui para criar a sua imensa família no sangue da mesma inspiração.

Nosso ônibus nos deixou ao lado da estátua comemorativa da chegada de Francisco e seus mendicantes e penitentes companheiros junto a Cúria Romana. Na frente, a reverência humilde mostrada pela obra esculpida em bronze e de uma transparente expressividade, contrastando com a portentosa Basílica.
Pudemos imaginar e sentir na pele, o maltrapilho Poverello  entrando e aproximando-se da corte papal. O Papa tendo um sonho de intuir um mendigo escorando uma coluna da igreja prestes a ruir e evidenciar quando despertou que este mendigo era Francisco. Foi o primeiro despertar para Francisco que se tem notícia na história.

A Basílica do Latrão é a catedral do Bispo de  Roma, que é o Sumo Pontífice. É a mãe de todas as igrejas que estão pelo mundo. Dirigimo-nos à Capela de São Francisco e antes passamos por um afresco de Giotto, como que nos transportando para o medieval em plena explosão renascentista do conjunto de obras que revelam a incrível beleza desta igreja.

Ver Giotto ali é como entrar junto com o pobre e popular Francisco até o trono papal. Na Capela de São Francisco fizemos um momento de motivação, meditação e oração. Numa bela celebração renovamos nossos votos (os religiosos presentes), a profissão (os da OFS), e os compromissos sacramentais (os simpatizantes e agregados). Num primeiro momento celebramos todos juntos e depois, em pequenos grupos, mãos no altar de São Francisco, agradecemos o benefício singular de seguir as pegadas de Jesus, prometemos pôr a serviço da Fraternidade todos os nossos talentos e capacidades, nossos trabalhos e convivência fraterna, para que juntos possamos viver os conselhos evangélicos durante toda a nossa vida.

Em seguida fomos ver de perto a relíquia de São João Batista, o Batistério mais antigo do cristianismo, o obelisco laterano, o maior de Roma; a Escada Santa cheia de tradição e relíquias, e a multidão de fiéis subindo-a de joelhos.

Terminada a visita ao Latrão seguimos para a Basílica de Santa Maria Maior, também conhecida como a Basílica de Nossa Senhora das Neves. Ela é de 432, do pontificado do papa Sisto III, e erigida em homenagem ao dogma da Maternidade Divina de Nossa Senhora, que foi declarado pelo Concílio de Éfeso em 431. Ali, ficamos em oração diante da Relíquia do Presépio do Menino Deus e nos altares dedicados à Mãe Divina.  Foi uma manhã fecunda! Depois, tivemos a tarde livre até 18 horas, quando nos reunimos para celebrar a Eucaristia e concretizar uma grande partilha na Mesa da Palavra. E assim foi o dia!

Acompanhe a nossa viagem  





Um comentário:

Denise Pires disse...

Que lindo Frei Vitório,
termos ido à Basílica de Latrão que acolheu S. Francisco, junto ao Papa Inocêncio III. Eu, como simpatizante e de certa forma agregada, refaço com vocês os meus compromissos Sacramentais. Muito emocionante ir à essa Basílica e ver a estátua em bronze do Seráfico Santo, também rezar na sua capela. Todas as demais visitas foram maravilhosas. Que Deus seja louvado por momentos tão especiais de espiritualidade. Continuo com vocês.

Abraços para todos.
Denise.