sexta-feira, 16 de julho de 2010

IDENTIDADE HUMANA FRANCISCANA - XVI

Um tipo como Francisco é flor da humanidade. Tem que ser colhida no seu esplendor. É humanidade dignificada pelo espírito. Nós pensamos santidade como pessoa canonizada. O franciscanismo pensa santidade como plenitude humana, transbordamento do que se tem como natural e sobrenatural. É a resposta mais sublime da natureza humana à busca da perfeição. É a forma mais integrativa de ser uma pessoa feliz e bem realizada.

Ser franciscano é transfigurar a natureza, complexa, com virtudes conquistadas, em meio a crises e vitórias. Ter a coragem de ser modelo de uma personalidade equilibrada e feliz. De desequilíbrios e desequilibrados a vida já está cheia. Faltam Franciscos!

Não podemos esquecer que ele viveu, nos inícios do seu caminho, o gosto de uma vida medíocre e comum, como qualquer pessoa no mundo; comprazendo-se sobremaneira com as consolações humanas do ter, poder e saber. Depois rompeu com o agradável fácil, que não o fazia feliz; desprendeu-se das necessidades, para abraçar, cada momento, o desejo de ser melhor. Viveu uma atmosfera de permanente sobrenaturalidade. O franciscanismo é apelo para uma humanidade mais radiante, totalmente livre, encantada e com a mística das miudezas diárias.
Continua na segunda-feira

2 comentários:

Anônimo disse...

Que formidável, frei...
Palavras encantadoras!!
Assim que li ..lembrei-me ..."Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos".
(frase tirada do Livro: O Pequeno Príncipe")

☆*★*Bruxa Morgana de Avalon*★*☆ disse...

olha meu blog:

http://soturna-gotica.blogspot.com/

La mostra as verdades sobre a antiga bruxaria e que o sentido dessa palavra foi deliberadamente alterado para definir um ser demente, sobrenatural e perigoso, que praticava magia destrutiva uma ameaça ao cristianismo. Essa mudança de significado foi um movimento político, monetário e sexista por parte da religião organizada, e não uma mudança prática dos bruxos.