segunda-feira, 8 de outubro de 2007

A Compreensão Franciscana do Homem – 4ª parte


Ter a clareza do que significa o medieval é não deixar-se contaminar pelas ideologias que desejam usar o termo para reforçar suas posições, muitas vezes de um modo superficial, sem fundamentação histórica. Diz o próprio Sabatier que “o medieval constitui um período orgânico na vida da humanidade: como todos os organismos poderosos começou com uma longa e misteriosa gestação, teve a sua juventude, a sua virilidade, a sua decrepitude. O fim do século XII e o início do século XIII assinalam o seu definitivo desenvolvimento orgânico. São anos com a própria poesia, sonhos, entusiasmos, generosidade, audácia. O amor era abundante em sua força; por toda parte os homens tinham um só desejo: dedicar-se a alguma grande e santa causa” (3)
A Idade Média é um momento cultural, social, religioso, mítico, arcaico, motivo de escândalo e de interesse. Revelou possuir um centro, um cerne muito próprio, e, talvez, exatamente por causa disto nos legou uma vida cultural e espiritual de rara profundidade.

(3) P. Sabatier, Vita di San Francesco d’Assisi, Milão, Mondadori, 1978, 34.

Amanhã, a quinta-parte deste artigo

Um comentário:

Denise disse...

Prezado frei,
interessante estes textos. Ouço muitas vezes pessoas leigas ou não, referirem-se a São Francisco de Assis ou ao franciscanismo inicial como algo estrito à cultura medieval, a um período histórico já há muito passado e que não teria um sentido maior para nós, do Séc XXI, da era pós-moderna. Mesmo o hábito dos senhores, a forma de vida, os votos. Por favor, se houver como incluir, com linguagem acessível, este aspecto em um ou outro texto, para mim (nós), ignorantes sobre o período medieval e leigos em franciscanismo, seria muito bom.
Abraços.
Denise.