terça-feira, 30 de outubro de 2007

A Compreensão Franciscana do Homem - 17ª parte


8. A nobreza de costumes
Na vivência medieval e, de um modo específico, no ideal cavaleiresco, destaca-se a nobreza. O que é ser nobre? Por que dizemos que ser nobre foi uma tônica e uma procura durante a juventude de Francisco?
A Legenda dos Três Companheiros mostra de um modo preciso a naturalidade nobre de Francisco: “As virtudes naturais foram os degraus de que a graça divina se serviu para o elevar a ideais mais nobres” (3Comp 3,3).
A alegre, mas não decadente juventude de Francisco, foi o prelúdio natural de um ideal maior, de propósito sobrenatural que vai emergindo com muita espontaneidade e dedicação. Uma liderança carismática, uma jovial fraternidade, um modo de amar apaixonado, uma nobreza de sentimentos, são marcas deste período de sua vida (24).
Falamos de nobreza de costumes. O que isto significa? É um termo que quer mostrar algo mais do que uma simples herança, um título, uma tradição familiar do assim chamado padrão de sangue azul.

(24) F. D’Anversa, L’allegra giovenezza di San Francesco, IF, 4 (1926) 273.
Imagem "A Juventude de Francisco", do livro "A Vida de S. Francisco", de Romeu Cianchetta

Amanhã, continuaremos neste subtítulo

Nenhum comentário: