sexta-feira, 19 de outubro de 2007

A Compreensão Franciscana do Homem - 10ª parte

2. A Religião como modelo

Nesta sociedade, dominada pela religião, o modelo que aparecia do humano vinha sempre definido a partir da religião, e, “em primeiro lugar, pela mais alta expressão da ciência religiosa: a teologia”. (13) O Homem era conhecido a partir da sua capacidade de crer e participar de uma estrutura de inspiração eclesial. Eram poucos os que negavam a Deus, embora não se possa ignorar as reações anticlericais, as contestações doutrinais existentes. Sabatier afirma: “Os conservadores de nosso tempo, que se voltam para o século XIII como a idade de ouro da fé imposta, cometem um estranho engano. Se é o século dos santos por excelência, é também aquele dos heréticos”(14)
Religião era uma palavra forte e significativa. Francisco mesmo a tomou como um lugar existencial. Podemos encontrá-la em inúmeras citações das Fontes Franciscanas, por exemplo: “Esta é a santa Ordem dos Frades Menores, a maravilhosa Religião de homens apostólicos, digna de ser imitada”.
(13) J. Lê Goff, L`Uomo Medievale, 3-4
(14) P. Sabatier, Vita, 32.

Imagem: Capela do Trânsito Basílica de Santa Maria dos Anjos Afresco D.-Bruschi

Na segunda-feira, a 11ª parte deste artigo

Nenhum comentário: