quarta-feira, 1 de agosto de 2007

O dinamismo sobrenatural do trabalho - 5ª parte

Estar bem no mundo é amar o mundo. Quem ama cuida, transforma, melhora, dá um acabamento íntimo a todas as coisas; esforça-se para aplicar uma energia interna numa realidade externa. Trabalho é encontro de potencialidades interiores com as exteriores; todo trabalho é obra da inteligência e das mãos. É um fazer decisivo para a dinâmica histórica.

Todo este conteúdo ético-espiritual do trabalho leva também a um questionamento: “Os documentos contemporâneos citam com muita complacência os textos do Gênesis que fazem do trabalho uma participação na obra criadora de Deus. O Gênesis entra de fato em concordância com as aspirações das civilizações do trabalho da atualidade: o trabalho transforma o mundo e pela transformação do mundo transforma a própria humanidade. Assim se manifesta o que deveria ser o trabalho. Aquilo é a meta, a utopia que procuram os trabalhadores e que lhes permite ver até que ponto eles estão frustrados como trabalhadores. Acontece até hoje que muitas das tarefas assumidas nada têm de transformadoras nem do mundo nem do humano, e não fornecem nenhuma imagem da obra da criação de Deus (6).

Amanhã, continuo neste subtítulo do título principal "A espiritualidade do trabalho"

Imagem de Michelangelo - A criação do sol, da lua e das plantas

Nenhum comentário: