quarta-feira, 8 de agosto de 2007

A espiritualidade do trabalho - Conclusão

Não esgotamos aqui todo o conteúdo da espiritualidade do trabalho. Destacamos apenas alguns aspectos para sugerir uma reflexão mais aprofundada que pode nascer a partir deste texto. O importante é perceber o trabalho como Graça do Senhor, como o dom de ocupar-se, distribuindo vida, vivendo em comunhão com o mundo e com a humanidade. É o modo de restaurar a harmonia da vida trabalhando o espírito e a matéria. Quando trabalhamos realizamos a continuidade da obra criadora de Deus.
O trabalho distingue o humano de todas as criaturas, pois ele realiza no ser humano a liberdade, a razão, e a vocação original para uma ocupação. O humano não existe de um modo estático diante de tudo o que é, mas é no concreto de seu fazer um instrumento de uma Obra Maior.

Almeida Cunha , R. I., Desafios do Mundo do Trabalho à Vida Religiosa: Inserção, Formação, Trabalho, RJ, CRB, 1987, 36.
Comblin, J., O Tempo da Ação, Ensaio sobre o Espírito e a História, Petrópolis, Vozes, 1982, 224.
Idem, 229.
Idem, 235
Boff, L., O Destino do Homem e do Mundo, Petrópolis, Vozes, 1973, 44-45.
Comblin J., Antropologia Cristã, A Libertação na História – III, Petrópolis, Vozes, 1985, 173-181.
Antoncich, R. – M. Sans, J. M, Ensino Social da Igreja, A Igreja, Sacramento de Libertação, IV, Petrópolis, Vozes, 1987, 103-111.
Idem, 112
Idem, 129-134
T. de Chardin, L avie Cosmique, in Écrits du temps de la guerre, Paris, 1965, 6-61.

Imagem: O Milagre dos Peixes, de Rafael

Nenhum comentário: