quinta-feira, 30 de agosto de 2007

A Espiritualidade Hesicasta - 9ª parte


3. A Oração do coração contrito
A segunda parte da Oração de Jesus: “Tem piedade de mim, pecador” revela a atitude fundamental do humano frente a Deus – a fé, a tranqüilidade dentro de si, a certeza de que só Deus salva. É a “metanóia”, a mudança radical da criatura para melhor, a partir da força/do poder do próprio Senhor.
Sisões, o Grande (séc. V) (imagem ao lado), não satisfeito com 62 anos de austeridades, em seu leito de morte confessava perante os outros monges: “Parece-me que ainda nem comecei a fazer penitência”.
Os monges do Monte Athos, repetindo a oração de Jesus, usam uma espécie de Rosário, chamado “komboschini”, que os ajuda a contar as invocações feitas... É composto de 100 nós, divididos em intervalos de 25, onde se fazem as “conversões”, isto é, prostrações profundas, grandes inclinações. Arrependimento e prostações demonstram a atitude física e psíquica dos convertidos do Evangelho.

Amanhã, o nº 4, "Orar com o coração"

Um comentário:

Denise disse...

Prezado Frei Vitório,
boa noite.
A oração, como rezar ou orar é um dos assuntos que mais me intrigam e interessam. Já estive certa época ligada aos Carmelitas para tentar aprender a rezar. Possuo inúmeros livros sobre o assunto. Bem, estou achando muito bons estes artigos do senhor. Tentarei fazer a "Oração de Jesus", inclusive e, sem exagero, estou pensando em confeccionar um "rosário" deste tipo para fazer as invocações e conversões.
Eu passei por um período de contrição verdadeira e ocorreu comigo realmente uma metanóia.
Sua benção.
Denise.