sexta-feira, 27 de julho de 2007

O dinamismo natural do trabalho - 2ª parte


Do trabalho depende a economia e a produção de bens de consumo, atendamos o que diz José Comblin: “O trabalho é uma atividade que produz bens destinados a serem consumidos para dar satisfação às necessidades . Está integrado à cadeia: necessidades, produção, consumo” (2).

O mundo do trabalho é o mundo pelo qual a pessoa torna-se ação. Nele ocupa a totalidade de suas horas, investe toda a sua capacidade racional. A ciência e a técnica fazem dele um terreno fértil de investimento. “O mundo do trabalho conquistou a terra toda. Tendeu a englobar o maior número possível de trabalhadores: os antigos camponeses e artesãos, os nômades e os caçadores, as terras conquistadas e transformadas em colônias, os empregados e servidores de todas as espécies, mesmo os soldados, e, em seguida, os indivíduos na mesma condição”(3)

O capitalismo é acusado de ser a grande causa da exclusiva condição trabalhadora da humanidade, que precisa empenhar aí a grande parte de seu tempo. O socialismo acabou entrando pelo mesmo caminho, tudo fruto da modernidade que faz o ser humano totalmente voltado para a produção.

A Espiritualidade do Trabalho - Amanhã, a terceira parte deste subtítulo

2 comentários:

Denise disse...

Prezado Frei,
bom dia !
Continuo aguardando a opinião do senhor, suas reflexões sobre o trabalho. Interessa-me especialmente. Espero o restante da série.

Sua benção.
Denise.

Denise disse...

Prezado Frei,

Discordo totalmente da ideologia do "suor". De que nossa vida existe para o trabalho. A filosofia da produção... Que adianta ganhar muito se não se tem tempo ou energia para mais nada? De que adianta esta luta capitalista ferrenha para vencer e vencer. Vencer o que? Vencer em que?
Claro, não se pode ser preguiçoso, nem desonesto. Ganhar sem suor... Mas se deve ganhar o suficiente para uma vida decente e simples. Deve haver um equilíbrio entre o trabalho e as outras instâncias da vida. Não se pode realizar uma vida apenas baseada no trabalho. Pode-se e, felizes são, os que se realizam e sentem-se felizes no seu trabalho, por mais humilde que seja,não são apenas robôs de uma linha de produção, seu trabalho possui significado, lhes dá dignidade.Mas é importante ter tempo para rezar, tempo para contemplar, tempo para descansar, tempo para Deus,para a família, para os amigos, pessoas queridas, ter paz de espírito, tempo para ler, tempo para se dedicar aos outros. Certamente não podemos sobreviver neste mundo sem ganhar nosso sustento e ter dignidade, mas é preciso equilíbrio.
Sua benção.
Denise.