terça-feira, 3 de julho de 2007

A CONTEMPLAÇÃO DA NATUREZA - Conclusão

Aprendemos com os místicos orientais o amor pela natureza. Uma natureza que precisa ser percebida com a alma. A alma é grande porque Deus a fez participar desta Beleza! Tudo é grande e belo, mas deve ser integrado no humano para que ele seja a Voz e a Consciência das criaturas. Aprendemos com eles a Fraternidade Universal, que não exclui o mundo das coisas! A Fraternidade Universal deve respirar com o pulmão do universo!

Rezemos com os Padres Orientais: “Graças, Senhor, porque somos também a concretização do seu Logos!”. Fazemos parte da sinfonia de Deus, Por isso não podemos desafinar, conquistemos a nossa harmonia! O mundo precisa demais de quem diga: Graças ao Criador! Diante da imensidão das obras não podemos nos calar.

Que nossa presença na natureza seja de agradecimento, reconhecimento, reverência e de restituição: vamos dar a Deus o que lhe pertence!

3 comentários:

Anônimo disse...

A natureza precisa muito ser contemplada e não destruída como vem sendo feita...


Louise

Anônimo disse...

Vivemos a plenitude da vida quando estamos em harmonia conosco, com o outro e com o meio ambiente, se falta tal harmonia em qualquer destas dimensões a vida plena deixa de existir e consequentemente as outras duas dimensões serão também afetadas e, inexoravalmente, a vida se findará ... Ainda dá tempo para reverter-se quadro ...
Paz e Bem a todos e a vc Frei mais uma vez obrigado pelos ensinamentos.
Alessandro e Maira
Agudos - SP

Anônimo disse...

A natureza é a verdadeira dádiva de Deus, onde nos emprestou para que possamos nascer, crecer, gerar descendentes, envelhecer e morrer em um determinado espaço de tempo determinado através de sua sabedoria. A atual situação nos faz entender que essa visão esta um pouco distorcida e o ser humano pode alterar toda esse quadro deplorável para o bem de toda coletividade e garantir aos seus descendentes que no futuro tenham o direito a vida.

Glauco Marcelo Gabriel

Amparo - SP