segunda-feira, 12 de novembro de 2007

A Compreensão Franciscana do Homem -23ª parte


É o hino de quem caminha, de quem é peregrino que passa e vê, extasia-se mas não toma posse. É o cavaleiro bêbado de símbolos e de mitos! É o trovador que sente a limitação de suas palavras, e, na impossibilidade de dizer, convoca todo o cosmos...
É o canto do servo que se reconhece quase um nada diante da Grandeza de seu Senhor, por isso torna-se submisso, humilde, consangüíneo de todo o ser criado...

Imagem de Nelson Porto

Amanhã, continua com o subtítulo "A cortesia como virtude: nobreza de atitudes"

Nenhum comentário: