terça-feira, 13 de maio de 2014

PORQUE SOU LIVRE, SOU RESPONSÁVEL - V

O indivíduo se identifica com o dono da empresa, arrumadinho e com muito tempo para decidir o tempo dos outros. O sujeito não acelera a vida, está na multidão sem dissolver as diferenças. O indivíduo se esconde na casa e vive com seus hábitos mentais. O sujeito sai da casa para o mundo; faz e relata eventos em que guarda a memória dos fatos. O indivíduo tem a identidade da máquina. O sujeito sabe que só é possível a identidade quando guarda a memória das coisas grandiosas dentro do próprio coração. O indivíduo é programado para esquecer. Quem não cultiva a memória não tem mais raízes. Nós vivemos hoje numa produção de esquecimento. O sujeito recorda. O indivíduo é tempo produtivo; o sujeito é tempo celebrativo. O indivíduo abração mercado que não dá nada de graça e paga caro para vestir-se de grife. O sujeito abraça o dom de existir na gratuidade. O individuo é medroso e inseguro e por isso precisa de esquemas autoritários. O sujeito é livre em meio a pesadas estruturas.

E o que é ser responsável? Na raiz da palavra responsabilidade está o latim “SPONS” que significa: ASSUMIR EM VISTA DE UMA PROFUNDA UNIÃO! É um esponsal com a vida. Casar com os projetos; casar com as verdadeiras escolhas. Casar com aquilo que está em minha alma. Amar a fonte e a raiz e encontrar-se com elas. Sem a fonte e a raiz não somos nada. Isto está na base de todos os pactos, de todos os compromissos, de todas as alianças. De SPONS vem resposta e responsabilidade. Na Idade Média isto era: “Tuum semper videns principium” = ver sempre o teu princípio. É o “Não perca de vista seu ponto de partida”, de Clara de Assis.

Continua

Nenhum comentário: