segunda-feira, 5 de maio de 2014

PORQUE SOU LIVRE, SOU RESPONSÁVEL - III



Ser livre é libertar-se da tutela do poder político que perdeu a moral, a ética e a credibilidade, porque o poder político é o primeiro a se corromper pelo capital. A política é serva do capital. Ser livre diante do excesso de leis e direitos que querem ser a base para recompensar ou punir.

Ser livre é não delegar a nossa vida à condução das tutelas. Temos que ter mais coragem de usar a própria razão, desde que ela seja bem formada. Os sonhos ainda valem muito! Como eu faço para formar olhos bons para ver a vida de um modo bom? Como eu faço para viver melhor? Como transformar o acúmulo de informações em sabedoria? Como sair da covardia de ser, que é confundida como obediência?

Ser livre é abraçar  a causa proposta pelo  lugar onde trabalho. A Herança Franciscana ajuda a pensar uma existência franciscana no mundo. É trabalhar em comum. Nós precisamos da força fraterna para nos achar. Precisamos da força de muitos para reconstruir a transformação da intimidade e da subjetividade. Em que consiste em ser humano? É a decisão de ser melhor entre os melhores, de ser mais em meio à mediocridade. É uma decisão de moldar uma nova identidade. Toda decisão tem uma cisão, comporta uma ruptura. Francisco de Assis disse que isso é conversão: mudar de mentalidade e mudar de lugar.

Neste sentido vamos aprender com Francisco de Assis. Nós fazemos cálculos, ele fazia sonhos. Nós fazemos terapias, ele fazia estrada e abria caminhos.  Nós não abraçamos muito o passado, mas ele é um medieval que permanece como uma eterna provocação para Ser. Temos que confrontá-lo como modelo necessário, e não apenas usar o seu estereótipo. O moderno recicla o medieval e vende segundo o seu interesse. Não dá para vender Francisco, porque ele rompeu com isto. Ele vai estar sempre cutucando as nossas estruturas.

Continua

Nenhum comentário: