quarta-feira, 3 de abril de 2013

Algumas ideias sobre a Teologia Franciscana - VII

São Francisco aparece para Santo Antônio, na pintura de Giotto

Para Francisco de Assis, a “Sabedoria do Mundo” não significa a “Ciência Profana”. O estudo da Teologia torna-se “ciência profana” se for usada para dominar ou sobressair. Mas qualquer ministério pode ser usado para impor a dominação de quem sabe:

“E disse que se deviam lamentar os pregadores que muitas vezes vendem o que fazem pela moedinha do vão louvor. E por vezes tratava os tumores deles com este antídoto: “Por que vos gloriais da conversão dos homens que os meus irmãos simples converteram com suas orações? (...) E não gostava muito daqueles que desejam ser louvados mais como oradores do que como pregadores, que falam com ornato das palavras e não com afeto. E dizia que fazem má distribuição aqueles que aplicam tudo à pregação e nada à devoção. Na verdade, louvava o pregador, mas aquele que por sua vez saboreava e degustava a pregação” ( 2 Cel 164 ). ( cfr. também RnB 17)

Diz também, a respeito dos que ministram a Palavra:

“Queria que os ministros da palavra fossem de tal modo dedicados aos estudos espirituais que não fossem impedidos por outros ofícios. Dizia que eles foram escolhidos por um grande rei para transmitir aos povos os editos que recebessem de sua boca. E afirmava: “O pregador deve haurir nas orações secretas aquilo que depois vai difundir em palavras sagradas; deve antes aquecer-se por dentro para não proferir palavras frias”. Dizia que este ofício devia ser respeitado e que aqueles que os exercem deviam ser venerados por todos. Dizia: “ Eles são a vida do corpo, são eles que combatem os demônios, eles são a lâmpada do mundo”. E considerava os doutores na Sagrada Teologia dignos de mais amplas honras. De fato, certa vez, mandou escrever de modo geral: “A todos os teólogos e aos que nos ministram as palavras divinas devemos honrar e venerar como a quem nos ministra espírito e vida” ( 2 Cel 163 ).

Continua

Nenhum comentário: