sexta-feira, 12 de abril de 2013

Algumas ideias sobre a Teologia Franciscana - X



- Há uma Teologia Franciscana porque seus pensadores souberam e lograram articular uma reflexão sistemática do cristianismo a partir da sensibilidade e da vontade própria da família.

- São diversos os autores desta escola, neles se harmonizam a originalidade, as diferenças nas abordagens e as críticas construtivas.

- A Teologia Franciscana não é patrimônio exclusivo desta família, mas pertence ao patrimônio da Igreja e ao campo da cultura universal.

- “No suceder-se das gerações sempre cresce o conhecimento da verdade” (Duns Scotus ).

- É surpreendente que a partir de Francisco, com quem conviviam simples e letrados, se criara e se articulara uma autêntica escola de pensamento que é solidária com os temas tratados nas demais escolas de seu tempo, embora fosse singular e diferente o modo de fazê-lo.

- Paris, Oxford, Agnello de Pisa, Roberto Grosseteste, Adam de Marsch, Tomás de York, Roger Bacon, Duns Scotus, Guilherme de Ockham, Alexandre de Hales, João de la Rochelle, Odo Rigaldi, Guuilherme de Meliton, Boaventura de Bagnoreggio, um significativo grupo de filófosos e teólogos, que se sintonizavam numa cosmovisão comum e num modo peculiar de ver a existência  e de interpretar a vida e o que há e acontece nela.

- Um modo peculiar de ver, de interpretar e de avaliar a vida e os problemas existenciais.

- Deus, o Humano, o mundo e a história articulados numa metafísica e em uma epistemologia específicas.

- Máxima liberdade de pensamento, a capacidade de pensar em oposição para o devido crescimento, a crítica aberta entre os seus próprios membros.
- Sensibilidade intelectual.

- O que lhe dá originalidade é sua consistência vital e temperamental, sua intuição e sua sensibilidade que oferecem uma visão e interpretação de Deus, do Humano e do Mundo em sintonia com a Espiritualidade do Fundador desta Família.

Continua

Nenhum comentário: