segunda-feira, 22 de abril de 2013

Algumas ideias sobre a Teologia Franciscana - XI


- O pensamento filosófico-teológico dos mestres franciscanos possui plena coerência na elaboração e estruturação de um sistema cosmovisional, em sintonia com os princípios – chave do franciscanismo.

- O pensamento franciscano, por ser luminoso, é sumamente simples, imediato e coerente. Desenvolve-se em forma circular até chegar ao centro ôntico de sentido, em torno do qual se movem, gravitam e se explicam todas as esferas referenciais.

- A arqueologia viva do franciscanismo é Francisco de Assis e a experiência primitiva de fraternidade, que são como que o código genético que condiciona e quase determina o conteúdo e a expressão do pensamento elaborado posteriormente. É somente partindo desta arqueologia prévia e do código genético comunitário, que se gesta na experiência compartilhada do grupo, que poderemos compreender aquilo que se chama pensamento franciscano.

- O franciscanismo não é um sistema teológico-filosófico elaborado especulativamente a partir de princípios puramente racionais e abstratos, mas nasce, potencializa-se e amadurece a partir de uma experiência vivida e compartilhada; e só é compreensível e apreensível em contato com essa experiência pessoal e comunitária.

- Não se deve esquecer que o franciscanismo primordialmente é vivência, mas ao ser vivência partilhada se converte em convivência.

- Não é o pensamento pensado dos escritores franciscanos que forma e conforma o conteúdo ou o estilo do pensamento pensante franciscano e que orienta e configura sua forma e seu estilo de viver, mas é a dimensão existencial franciscana, a existência transformada em convivência que atua como energia espiritual e como pensamento do pensamento.

- Um pensamento que nasce e se descobre na sua identidade de propósitos e na sua fidelidade ao espírito do Evangelho em cada pensador, reconhecível comunitariamente. Se forja e se nutre na fraternidade.

- A presença é uma realidade fontal, originante e configurante.

- O franciscanismo tem um corpo doutrinal, mas, ao mesmo tempo é trabalho, é núcleo e é desdobramento, é vivência e é projeto.

- Tem a força de criar um universo simbólico, que brota da raiz comum do próprio grupo e sua interpretação específica do mundo vivido e pensado.

Continua

Nenhum comentário: