quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Uma pergunta existencial presente no Salmo 8


Conclusão
Na procura de sua identidade, de seu modo de ser, o ser humano também faz a experiência da oração. Em ser alguém orante é condição para estar despojado diante de tudo, sentir-se nada na vida, vazio de tudo para aí sim descobrir a sua plenitude.
Nesta reflexão percebemos que este Salmo 8 é uma sensível exclamação que admira a grandeza divina e por isso mesmo responde ao ser humano qual é o seu lugar.
O seu lugar é estar bem situado no mundo, sendo um privilegiado parceiro do Senhor, sendo a voz do Senhor, sendo a transparência do Senhor.
Para responder à pergunta: "O que é o ser humano?" o autor do salmo andou pela natureza, contemplou, viu. Fez a experiência. Compreender é refazer a experiência do outro. O ser humano responde bem sobre a sua identidade se procura refazer a identidade de onde veio, isto é, do Senhor. Imagem e semelhança de Deus não é apenas um título mas é sentir-se co-responsável na obra criadora.
Este texto nos leva a pensar que o ser humano deve ter os seus olhos abertos para a profundidade das coisas. Temos que aprender a dar um mergulho religioso na realidade. Temos que perguntar:
Poderá o mundo técnico, secular, segmentarizado, pluralista, urbano, opaco, revelar Deus e a verdadeira identidade do ser humano?
Essa pergunta é falha. A verdadeira pergunta consiste: Poderemos nós, neste mundo técnico, secular, segmentarizado, pluralista, urbano e opaco vermos a presença de Deus? Vermos a dignidade do ser humano? Deus está presente sempre em tudo e em toda parte. Isso não faz o problema. O problema é se nós temos olhos para vê-lo. Se contemplarmos bem Deus... o ser humano se tornará mais iluminado. Que o salmo 8 seja para nós uma grande ajuda nesta experiência de ver.
Notas
(1) COX D. I Salmi..., p. 73
(2) COX D, O.C.p 77
(3) L.A. SCHÖKEL, Trenta Salmi, p. 66
(4) L. A. SCHÖKEL, O.C., p.66
Bibliografia
COX D, I Salmi, incontro con il Dio vivente, Edizione Paoline, Milano 1986, 73-77
GONZÁLEZ A., El libro de los Salmos, Herder, Barcelona 1984, 74-77
L.A. SCHÖKEL, Trenta Salmi: Poesia e Preghiera, EDB, Bologna, 1982, 61-78
WEISER, A., I Salmi 1-60, Paideia Editrice Brescia, Brescia 1984, 145-152

Um comentário:

Sementinha de Francisco e Clara disse...

Paz e Bem, Frei Vitório.

Maravilhoso esse texto.
Pude sentir daqui toda ternura presente no mesmo.
Num mundo onde o Ter insiste em se sobrepor ao Ser, o Egoísmo e o Egocentrismo à Partilha, difícil se torna perceber a presença de Deus. Mas sabemos que Ele está lá, a bater na porta de seus corações, para que se abra e se torne sua eterna morada.
Abraço Fraterno,
Marinilce - OFS/RJ.
Estou linkando o seu blog no meu (Caminho e Santidade : http://ofsrumoasantidade.blogspot.com)