terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Uma pergunta existencial presente no Salmo 8 - III


3. Estrutura do Salmo
Façamos um breve comentário ao desenvolvimento estrutural deste Salmo.
V.1 – Um título acrescentado posteriormente por quem organizou a coletânea salmística e que prova a organização ritual como um exercício de relacionamento com o divino.
V.2 – “Senhor, nosso Deus, como é grandioso teu nome...” É o tema do Salmo. Deus é louvado. É uma investigação racional sobre a grandeza de Deus. Maravilhado com a magnificência de Deus,o ser humano se questiona: se Deus é tão grande, então... o que é o Ser Humano?Dar nome significa colocar na familiaridade. O salmista vê o seu Deus presente nas Criaturas. Elas são sinais de Deus. A criatura revela o Criador e isto ele pode ver. Na magnificência da Obra ele pode nomear quem fez a obra.
V.3 – Diante do concreto da Obra deve imperar o silêncio. Nem mesmo os inimigos têm autoridade para contestar a concreção do Deus que faz uma obra perfeita.
V. 4 – Contemplar, ver. Começa do Cosmos criado. É como uma escada mística (cf. O Sonho de Jacó, o Cântico das Criaturas) pela qual o orante sobe e desce para perceber o seu Deus bem próximo. O que ele vê e contempla são vestígios, sinais visíveis do amor de Deus esparramado, transbordante.
V. 5 – Ao ter o olhar voltado para as coisas do alto, o salmista vai encontrando progressivamente uma resposta: Se posso perceber a grandeza de Deus, então posso saber quem é o ser humano. Assim, extasiado percebe que o ser humano é a Obra-prima de Deus.
V. 6 – A grandeza do Ser Humano está em ser pouco menos que um Deus.
V. 7 – A grandeza de Deus está em ser pouco mais que o ser humano. O fez à sua imagem e semelhança, e divide com ele o cuidado e o domínio da criação (1)
Vs. 8 e 9 – É a natureza que é cantada, o mundo animal, o mundo material. São a língua e o instrumento expressivo de uma experiência religiosa. Os elementos cósmicos e naturais são celebrados como símbolos de uma questão interior. Tudo é claro, luminoso e imediato.
V. 10 – Deus é celebrado, encarnado dentro do contexto da terra. A experiência de Deus vem para o chão da certeza daquilo que o homem pode experimentar (2).
Amanhã, continuaremos com “Análise de alguns elementos do Salmo”

Nenhum comentário: