quarta-feira, 2 de maio de 2018

REFLEXÕES SOBRE A DIMENSÃO POLÍTICA DO FRANCISCANISMO – 11


Como deve administrar a justiça quem recebe um cargo público


O texto que vamos abordar nos próximos posts fala do santo franciscano São Bernardino de Sena. Quem foi São Bernardino de Sena? Ele nasceu em Massa Marítima no ano de 1380. Muito cedo ficou órfão de pai e mãe e foi criado por duas tias. Estas tias foram muito importantes em sua vida porque souberam transmitir a Bernardino um cristianismo bem genuíno, sem nenhuma beatice e com lucidez crítica. Ele se tornou um jovem muito sadio, amante da liberdade, exigente e responsável. Frequentou com muito proveito a famosa Faculdade da República de Sena, uma das mais importantes de seu tempo. Aos 22 anos conhece a vida de São Francisco de Assis e fica fascinado pelo Poverello de Assis. Entrou de um modo livre e bem decidido para a Ordem dos Frades Menores. 

Viveu num Eremitério Franciscano e dali saiu para a pregação itinerante. Sonhava renovar a sociedade de então. Tinha uma boa cultura teológica, vasta e segura, um dom extraordinário de eloquência, que fez dele um grande evangelizador popular. Saiu pela Itália pregando a devoção ao Santíssimo Nome de Jesus, e junto com esta pregação sempre um alerta a uma sociedade que ele considerava muito pagã. Muito interessante a sua pregação dirigida ao povo e aos governantes sobre temas sociais e políticos. A sua vida de pregador itinerante iniciou em 1418 e por 26 anos ele percorreu a Itália até o dia de sua morte, em 20 de maio de 1444. Foi canonizado seis anos após a sua morte.

Vamos apresentar aqui um resumo de um sermão que ele dirigiu aos políticos e ao povo da República de Sena. Trata-se do Sermão nº XVII, onde ele mostra “como deve administrar a justiça quem recebe um cargo público”. Na República de Sena havia eleições livres e o povo tinha o direito de conhecer seus políticos, para julgar a sua idoneidade e eliminar os incapazes e os indignos. Um sermão do século XIV, mas muito necessário para os dias de hoje. Com a apresentação deste texto, quero responder também aos que dizem: “Vocês frades TL, são muito metidos na política!”. Não somos metidos em política, até porque em nosso país ela não existe com o seu verdadeiro sentido de ser um arranjo existencial para o bem comum. O que existe aqui em nosso país, não é política, mas um atentado moral. Porém somos metidos em criar uma consciência política, e para isto, peço a bênção de meu confrade São Bernardino de Sena, um frade metido em política. No início de cada parágrafos seguintes colocarei um tema a ser pensado a partir de suas palavras.

CONTINUA...

FREI VITÓRIO MAZZUCO

Nenhum comentário: