sexta-feira, 21 de agosto de 2015

O AMIGO É SEMPRE UM RECOMEÇO


Em Francisco o ser amigo está em consonância com o Espírito de Deus e de Jesus Cristo. Tratar com fineza cada ser é reconhecer esta presença sagrada em si, nos irmãos e irmãs e em todo ser criado. Para Francisco tudo é animado e possuído por Deus e não pelo espírito do mal ou da carne. Para ele, o espírito da carne é toda forma de egoísmo, orgulho, inveja, blasfêmia, dureza de palavras e insensibilidade. Estas formas de egoísmo espiritual ou corporal estão em contradição com a pureza de coração, espírito e corpo, com o Espírito da verdade e do amor, com a simplicidade, com o serviço pleno a Deus, a humanidade e a criação.

Quem entra no Espírito Amigo do Senhor, estará sempre num amor renovado e na bondade nova. Diz 1Cel 103: “Mas, embora o glorioso pai já estivesse consumado na graça diante de Deus e brilhasse com obras santas entre os homens deste mundo, no entanto, pensava sempre em começar as coisas mais perfeitas e, como cavaleiro instruidíssimo nos acampamentos de Deus, depois de ter provocado o adversário, procurava instigá-lo a novos combates. Tendo o Cristo como guia, propunha fazer grandes coisas e, enfraquecidos os membros e já quase morto o corpo, espera o triunfo sobre o inimigo em nova batalha. Pois a virtude verdadeira desconhece o fim do tempo, quando a expectativa da recompensa é eterna. Abrasava-se, por conseguinte, em desejo muito grande de voltar aos primórdios da humildade e, alegrando-se na esperança diante da imensidade do amor, pensava em levar de novo seu corpo à primeira servidão, embora já tivesse chegado ao extremo. Afastava totalmente de si os obstáculos de todos os cuidados e abstinha-se plenamente do estrépito de todas as preocupações. E quando por necessidade moderava o primitivo rigor por causa de sua enfermidade, dizia: “Comecemos, irmãos, a servir ao Senhor, porque até agora apenas pouco ou nada fizemos!”

Temos aqui a operação do Espírito que dá a vida, que é amor, fogo, vento, água corrente, sempre em movimento vivente. “Vede faço novas todas as coisas!” Assim devemos pensar como Francisco e precisar do amigo Francisco quando cremos que já chegamos, que já estamos prontos, que já podemos descansar, que sorrindo, fazemos algo de bom sem exigir mais... É preciso recomeçar! O amigo é sempre um recomeço.

Continua

Nenhum comentário: