quinta-feira, 27 de agosto de 2015

A SAUDAÇÃO DE PAZ E BEM


Francisco de Assis não transformou a saudação "Paz e Bem" num simples cumprimento religioso, mas sim num programa de vida. Desejar a paz e o bem a tudo e a todos é ter as melhores palavras e a melhor presença, é bem-dizer, é desejar o melhor; não é só dizer, mas fazer o bem, levar a saúde da alma, do corpo e das relações. Ter nos lábios o que pulsa no coração. É o contrário do mal-dizer, da negatividade, de falar apenas o mal. Reprova nos irmãos o maldizer. Ser um irmão e irmã é ser portadores de paz, do amor e do bem. No lugar da maldição colocar a bênção.  
                                                               
Francisco de Assis, diz na Regra Não-Bulada, Capítulo XII: “Portanto, acautelemo-nos, irmãos todos, de toda soberba e vanglória, e guardemo-nos da sabedoria deste mundo e da prudência da carne, pois o espírito da carne quer e se esforça muito por ter as palavras, mas pouco por fazer as obras, e procura não a religião e a santidade interior do espírito, mas quer e deseja ter a religião e santidade que aparecem exteriormente aos homens. E estes são aqueles de quem diz o Senhor: “Em verdade vos digo, já recebera a sua recompensa”. O Espírito do Senhor, porém, quer que a carne seja mortificada e desprezada, vil e abjeta. E procura a humildade, a paciência e a pura e simples e verdadeira paz de espírito. E deseja sempre e, acima de tudo, o divino temor, a divina sabedoria e o divino amor do Pai e do Filho e do Espírito Santo. E restituamos todos os bens ao Senhor Deus Altíssimo e Sumo Bem, e reconheçamos que todos os bens são  Dele e por tudo demos graças a Ele, de quem procedem todos os bens. E o mesmo Altíssimo e Sumo Bem, único Deus verdadeiro, os tenha, e lhe sejam restituídos; e Ele receba todas as honras e reverências, todos os louvores e bênçãos, todas as graças e glórias, Ele, de quem é todo bem, o único que é bom. E quando nós virmos ou ouvirmos dizer ou fazer mal ou blasfemar contra Deus, nós bendigamos, façamos o bem e louvemos a Deus, que é bendito pelos séculos”.

Continua

2 comentários:

Rosana Padial disse...

Isso mesmo: "ter no lábios o que pulsa no coração". Quem plantou a ira e o desprezo no coração do outro com certeza o receberá em troca.
Vc plantou essa ira no meu coração. Graças essa incoerência entre o que vc fez em junho e durante o ultimo ano, e o que vc fala aos quatro ventos. E que muitos que não lhe conhecem de perto não conseguem ver.
Agora vou te perguntar: vc vai fazer alguma coisa para isso, ou vai continuar com este óculos da vaidade e da "chaleração" ? Continuará ignorando uma visão ou leitura que seja oposta a tudo que vc fez?

Marilda Silveira Dias disse...

Esta reflexão me fez lembrara a linda Homilia com o
Papa Francisco na tarde do dia (26/9) em vista a
Filadélfia.
“Não devemos nos vangloriar de nada”, disse o
Bispo de Roma.
Paz e Bem.