terça-feira, 25 de agosto de 2015

FRANCISCO E O ESPÍRITO DO SENHOR


Francisco de Assis não somente fala do Espírito do Senhor e de seu santo modo de operar, mas mergulha nesta experiência vendo, sentindo, percebendo com toda a sua sensibilidade este Espírito que a tudo e a todos dá a vida. Isto traz a Francisco o querer bem, o querer fazer bem, o querer fazer o bem. É a fonte de seu louvor e de sua bênção. Deus é grande, único, o que faz as coisas bem feitas porque é o Bem e o Sumo Bem, o Benfeitor! Une o bem, a paz e a reconciliação. Francisco é muito sensível à paz. Este seu espírito de paz é sentir-se filho do Pai Comum e irmão de todos os que estão na Casa Comum. Não está contra nada, nem sequer contra o fogo que queimou sua face cauterizando a sua insuportável dor. Não está contra o ladrão que entrou em sua casa. Nunca esteve contra os que o consideraram louco.

Francisco de Assis é contra o espírito do mal, o demônio que se apega a materialidade, ao egoísmo, a  ganância e acúmulo de bens. Porém combate isto, em primeiro lugar em si mesmo. O excesso de egoísmo é seu inimigo principal e número um. Não dá para ser pobre sendo egoísta. Ser pobre é ter a coragem de repartir e receber. Com este seu jeito pacífico e reconciliado está bem entre pobres e ricos, entre sacerdotes e leigos, entre letrados e simples, no Evangelho e na Igreja, entre homens e mulheres, entre cristãos e não cristãos, entre os santos e pecadores; une carisma e instituição, o Papa e os Bispos, sacerdotes e monges, amigos e inimigos, plantas e criaturas todas, porque o Espírito do Senhor habita a todos. Para Ele, Deus é Uno e Trino, e quem se associa a Ele se faz Um e Comum com Ele.

Continua

Um comentário:

Rosana Padial disse...

Tá vendo vc sabe escrever o que tem nexo. Esse é um texto que mesmo sendo um trecho de outro faz sentido.