segunda-feira, 10 de março de 2014

FESTA DE SANTO: UMA ESPIRITUALIDADE BRASILEIRA - IV


2. A RELIGIOSIDADE POPULAR BRASILEIRA É UMA PRAÇA!

O QUE É A PRAÇA? 
. Lugar público, popular.
. Lugar de vivências alegres e sofridas
. Lugar do cuidado e do mal-cuidado
. Lugar de encontro de tudo e de todos
. Lugar de comunicação, fala, conversa
. Lugar de saída e chegada, ponto de convergência, de partidas e rupturas, sentimentos, incorporação de     fatos.
. Uma janela aberta para um horizonte bem maior.

- Sobre o que conversam as pessoas quando se encontram?
- Onde jogam suas fomes, sedes e carências?
- Onde misturam os seus sentimentos?
- Onde descobrem o ontem, o hoje e sonham o amanhã?
- Onde saem da rotina e começam a codificar as  suas mesmas ânsias?
- Onde foi que a humildade se divertiu e rezou?
- Onde encontrou oásis?
- Onde escutou pregações e explicações para as suas esperanças?
- Onde buscou repouso e consolação?
- Onde afogou suas mágoas? Onde namorou e sentiu os primeiros beijos?
- Onde tirou o chão duro de seus olhos cansados?

A Praça é uma porção de compartimentos onde o mundo se vê de frente, é um lugar de encaixe para os apelos de fora e de dentro. Na Praça, a Religião consegue ser assunto, consegue ser linguagem e rito. Se não consegue ser pão na proporção da fome do povo,  consegue reunir o povo para um jeito de se encontrar.

A Religiosidade Popular Brasileira quando vai à Praça tem um jeito muito especial de olhar: para ver melhor fecha os olhos, para ver mais abre para o que está ao lado. O povo, quando está na Praça, tem aí sua visão mais precisa e bonita que a roupagem  brilhante dos teólogos e pregadores. Faz aí a sua Teologia Popular que não é uma ciência exata, mas compõe com a Fé o que sobra da humanidade.

Na Praça, todo mundo entende de alguma coisa porque a humanidade ainda tem dois olhos: o da ciência e o da fé. O olhar da ciência é verificação. O olhar da fé é jeito, olhos, boca e ouvido. O intelecto fica mais quieto, em repouso, só observando... A Religiosidade Popular Brasileira caminha bem lenta com dois olhos bem abertos. Olha com certa desconfiança a ciência e diz: “ Aqui houve um erro de cálculo!”. Olha  com o olhar da fé e diz assim: “ Graças a Deus! Deus quis assim!” Com olhar da ciência é realista; com o olhar da fé cerca o ar de mistério. Com o olhar da ciência respeita o chão; com o olhar da fé vai também para as nuvens.

A Religiosidade Popular Brasileira ensina a confiar, sem prejudicar o  hábito de ver tudo certinho. Ela usa o campo da confiança bem melhor que a ciência. A  modernidade paga caro para que um analista ajude a levantar um véu. A religiosidade usa o véu. Alguém quer acabar com a sombra do fantasma (medo, culpa, pecado, demônio, etc.) que está dentro do armário. Vai lá e quebra o armário. Fica quebrado no chão, com muito barulho, e ainda preso ao que o fantasma demorou anos para criar.  A Religiosidade Popular vem, limpa o armário, enfeita com flores e bota um santinho dentro ou sobre ele.

Na Religiosidade Popular Brasileira ninguém dorme,  está acordado e atento!

Continua

Nenhum comentário: