quinta-feira, 27 de março de 2014

FESTA DE SANTO: UMA ESPIRITUALIDADE BRASILEIRA - VI

4. RELIGIOSIDADE POPULAR E A DIMENSÃO CELEBRATIVA

Na Religiosidade Popular Brasileira o povo foi procurar a substância de sua fé onde melhor podia encontrar: no seu jeito. Criou uma Espiritualidade própria de muita ligação afetiva. Que Espiritualidade é esta? Ter a intuição das intenções de Deus, e nas intenções de Deus perceber que tudo é sagrado. Nas intenções de Deus tudo é altar e festa, tudo é mesa, tudo é serviço bom.

Onde acontece a Celebração na Religiosidade Popular Brasileira? No que diz o Evangelho: a Celebração acontece onde dois ou três se reúnem para ter a intuição das intenções de Deus. Basta isto para ter fato, fala e festa. Quando o Senhor disse que isso devia acontecer para haver memória, não pôs nenhum limite, não separou nada. E o povo não conhece cansaço para celebrar.

O rito é a repetição cada vez igual do diferente, porque cada dia é diferente se o povo herda uma intuição e uma intenção que é sagrada.

A história é feita de gente e de fatos e não apenas de livros. O que os livros fazem é documentar de um modo bem organizado a história de um povo se encontrando.

Celebrar é também ser sal da terra e luz do mundo. E o sal não está só no lado de dentro do pão de cada dia. Está em tudo que cerca, e no que se tem para levar ao altar. Para o povo, Deus é um mundo de desejos, sonhos, confiança, segurança e fé que não pode ficar trancado. Tudo o que existe começa a caminhar. Se tirar isto a vida fica sem suporte.

O povo só para de querer Deus quando deixa de celebrar. Deixar de celebrar é deixar de ser. Na hora em que não quer mais nada com a fé não sabe para onde ir, e daí vem a morte que é a ausência de vontade.  Essa ausência é vazio onde não se planta nada.

É muito bonito o caminho para a fonte do santuário. Mas este caminho comporta certo sacrifício. Um conta um sonho, um milagre, a força do lugar e os outros vão atrás. Daí ninguém mais se pertence, pertence a Deus, ao Santo e ao lugar.

A Religiosidade Popular Brasileira é uma imensa procissão com seus símbolos, seus cantos e suas experiências. É muito linda a simplicidade e a persistência dos que caminham. Há uma força que embala os passos. Ninguém pergunta se a estrada é longa.

O terço, o canto e a prece rezada traz tudo para perto. Um confia no outro e na certeza que todos vão chegar ao lugar da celebração. O melhor é sempre o que está por vir! Isto justifica todo o cansaço.

Na Religiosidade Popular Brasileira, como já dissemos, a força do Símbolo é muito grande e a palavra sempre vence! O povo vai para dentro do templo porque sabe que as portas estão abertas e que a luz sempre entra e sai dali.

Há uma causa, na Religiosidade, sendo buscada e sendo profetizada. Quando se trabalha por uma causa, toda a humanidade acaba usando desta força. Nenhuma força se perde no mundo por causa da fé.

Vestir-se para ir celebrar é como arrumar-se para um casamento. Quem casou com o sagrado, gera o sagrado. Só tem uma vocação igual para todo mundo: colocar muito amor e fé em tudo o que se faz! Isto tira a distância entre o sagrado e o humano.

Na religiosidade popular o povo beija a verdade onde quer que ela ponha o seu rosto.

Continua

Um comentário:

Luz13 disse...

Olá! Gostei do blog. Veja as previsões de Aline, da Cidade das Pirâmides, para o ano de 2014. https://www.youtube.com/watch?v=6v_iFO6_dyc Abraços