quinta-feira, 25 de agosto de 2011

ESPIRITUALIDADE PARA UMA VIDA VIRTUOSA - 2

Espiritualidade é respirar o Evangelho. A Boa Nova é plena de preceitos e conselhos. Os Conselhos Evangélicos. O caminho da perfeição cristã se liga a estes conselhos. A Perfeição é essencialmente observar de um modo ( per-feito) os preceitos (especialmente o Amor, Fé, Esperança, Caridade, Pobreza, Obediência e Pureza de Coração), que são a síntese para todos os outros conselhos que brotam do Evangelho. A perfeição é superar obstáculos que se oponham ao seu exercício. O Anônimo Perusino, uma legenda medieval franciscana, diz em seu capítulo 6, “que é preciso opor aos vícios, virtudes”.


Espiritualidade aqui em nosso encontro é o exercício de aprofundar a Vida Espiritual como uma ciência espiritual. O Espírito tende ao aperfeiçoamento. Deus não se basta, está sempre dando um acabamento íntimo a todo Ser Criado. Quando alguém é verdadeiro, é plasmado de Amor e se torna necessariamente uma central de energia. A Espiritualidade  é esta força que deve brotar e transmitir luz. O mundo inteiro se iluminou da Presença de Deus em Francisco de Assis. Deve se iluminar também a partir da nossa vida. Espiritualidade é caminho de Iluminação!

Como dizíamos, Espiritualidade é Caminho. Cada experiência é um passo. Na vida espiritual tudo começa por um passo. É a mística de Santiago de Compostela. É busca. Cada experiência de buscar Deus é uma peregrinação à Casa do Pai e poder dizer um dia: “Finalmente cheguei!” Esta não é uma viagem feita com as pernas, mas sim com o coração. O que falta na formação espiritual é trabalhar bem o afeto. Cada um se torna aquilo que ama e busca. A escolha fundamental que cada um faz é que o caracteriza. O Amor edifica sempre. Depois que Francisco descobre que o Amor não é amado, começa a reconstruir a casa da civilização do amor. Quanto maior o Amor e a Espiritualidade, maior é a obra completa.

Neste nosso per-Curso vamos trabalhar a Espiritualidade como Palavra que é permanente presença; vamos refletir a Palavra como nítida imagem diante de nós. E que tudo isto tome forma em nosso coração. O que toma conta do nosso coração toma conta do corpo inteiro. Para a Espiritualidade, o órgão do conhecimento não é o intelecto, mas o coração. Nós somos o que colocamos no coração. Cada vez que você ama esta busca e a traz para o coração, você se torna uma Fonte.

Continua amanhã

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá Frei Vitório,

comecei a seguir o curso do senhor e que seja um per-curso para mim. Gostei muito destes dois artigos iniciais e, quanto à família de 800 anos, que maravilha. Com São Francisco e Santa Clara como pai e mãe e milhares de irmãos, todos e cada um com uma digníssima bagagem espiritual. Quase ingressei nela através da OFS, mas enfim, permaneço uma "agregada" e felizmente sou bem-vinda, Nosso Senhor Jesus Cristo soube fazer-me bem-vinda e que assim continue. Possa a Igreja, pela Graça de Deus, florescer em mim e que eu pratique as virtudes que porventura recebi e/ou venha a receber.
Sua Bênção.
Denise.

Parabéns por este dia especial da Festa de São Luiz XV, ele no qual todas as virtudes resplandeceram em uma fecunda prática.