segunda-feira, 9 de junho de 2008

Santo Antônio que permanece


Santo Antônio morreu aos 13 de junho de 1231 no eremitério de Campo Sampiero, vizinho a Pádua. Sofria de hidropisia e outros males. A festa do santo comemora-se liturgicamente nesta data, mas sua vida está na vida diária do povo. Antônio é um santo próximo, íntimo, amigo. Um santo que amou profundamente a Deus e a toda criatura com sua cordialidade, piedade e desejo de justiça. É um santo intercessor, isto é, aquele a quem se recorre nas situações mais diversas, sobretudo nas mais sofridas, para encontrar conforto e segurança. Está muito presente e vivo no meio do povo humilde, nos países mais pobres, onde miséria e a opressão deixam espaço para a esperança. Com escreve Frei José Clemente Müller: “A semelhança dos grandes personagens da história, o homem Antônio passou, mas a causa permaneceu. Por isso, a fama que tiver em vida centuplicou-se com sua morte”. Nosso povo não celebra a morte de Santo Antônio, mas faz, há mais de 800 anos, sua presença bem vida, cada dia!
Imagem, Santo Antônio e a Eucaristia, de Cláudio Pastro

Nenhum comentário: