segunda-feira, 12 de março de 2018

Evangelização na Educação - Perspectiva Franciscana - Final

2.2 Como estar na educação

Nas Fontes Franciscanas, encontram-se vários elementos que qualificam São Francisco de Assis como “mestre de vida integral”. Narra-se acerca de muitos pequenos gestos de amor, cortesia, respeito, gratidão e bondade que atestam a sensibilidade de Francisco como educador e evangelizador.

Como educador e evangelizador, Francisco tinha a preocupação de, primeiramente, praticar o que, em seguida, havia de ensinar por palavras. Pois, uma educação libertadora requer coerência de vida com os valores que verdadeiramente libertam e promovem a vida integral da pessoa.

A presença franciscana no mundo, especialmente no campo da educação, caracteriza-se pelo modus vivendi, ou seja, pela sua maneira amorosa de ser e fazer todas as coisas. O educador franciscano valoriza cada pessoa na sua individualidade e nas suas múltiplas relações com os semelhantes, com todos os seres da criação e com o Criador.

Há muitos desafios como oportunidade de crescimento, de revitalização do carisma franciscano e do ardor missionário:
- Ser presença evangelizadora com valores franciscanos e com a qualificação humana e profissional que o serviço exige.
- Oferecer educação de qualidade aos professores, alunos e colaboradores, à luz da espiritualidade evangélica e franciscana, visando a formação integral e transformacional do ser humano e da sociedade.
- Criar mais espaços de encontro e diálogo intercultural e inter-religioso, respeitando as crenças, valores, aptidões e vicissitudes de cada pessoa.
- Dar mais visibilidade ao Carisma Franciscano nas entidades de ensino.
- Envolver sempre os educandos nos projetos de missão e solidariedade que desenvolvemos.
- Fortalecer as atividades pastorais: familiaridade com a Palavra de Deus, reflexões, retiros e celebrações litúrgicas e encontros de formação franciscana.
- O anúncio do Evangelho e do nosso estilo de vida às culturas profissionais, científicas e acadêmicas, como “encontro entre fé, a razão e as ciências, criando predisposições para que o Evangelho seja escutado por todos” (EG 132). Dessa forma, os espaços pedagógicos e acadêmicos tornam-se meios favoráveis à evangelização e à interação, acolhida e respeito às diferentes culturas.
- A cultura do encontro, da alteridade e do diálogo aberto e respeitoso com as realidades multiculturais e inter-religiosas, propiciando relações de reciprocidade e de promoção da unidade, da justiça e da paz.
- O uso responsável das novas tecnologias.
- As escolas e universidades como âmbitos privilegiados para pensar e desenvolver atividades evangelizadoras de modo interdisciplinar e inclusivo.
- Incluir o Projeto de Evangelização nas disciplinas institucionais (Estudo do Humano  Contemporâneo – EHC, Ética e Empreendedorismo).
- Apoiar, estimular e implantar o Projeto Virtudes e Atitudes.

Temos também alguns riscos e tentações:

- Estar na educação sem perspectiva de evangelização, sem referência da fraternidade, sem um projeto comum.
- Conformar-se com o neo-liberalismo que faz da educação uma oferta de mercado, seguindo a lógica empresarial.
- perpetuar-se nas funções com personalismo e inflexibilidade.
- contentar-se em dar um verniz franciscano à Instituição enquanto sua filosofia é dada por outros.
- não cair no tecnicismo, na competitividade voraz de lucratividade e produtividade.
- Não assumir com convicção uma identidade franciscana e católica.
- Fechar-se apenas na própria atividade e setor, renunciando a comunhão que torna o esforço mais eficaz.
- Não ir ao encontro dos que estão nas periferias existenciais e geográficas.

- Não trabalhar de maneira colegiada e faltar com a transparência nos procedimentos realizados.

CONCLUSÃO

Precisamos muito das motivações evangélicas e franciscanas no nosso Projeto Educacional. Nós estamos nos ombros daqueles que vieram antes de nós e nunca esqueceram desta verdade: fazer do franciscanismo na educação uma presença evangélica, mística e profética. Precisamos viver isto sempre de forma nova, com muita abertura para as surpresas do Espírito.

O franciscanismo é uma grande inclusão em meio à diversidade, é um dom para o mundo, uma tradição viva e verdadeira que atravessa séculos. Possui uma energia muito forte porque sempre acreditou na força das pessoas que se unem de modo fraterno. Continuemos com força e fé, neste sentir-se bem onde o Senhor nos enviou para servir anunciar a Boa Nova!

FREI VITORIO MAZZUCO

Nenhum comentário: