terça-feira, 2 de setembro de 2014

São Luís de França e os Franciscanos - III

Frei Sandro Roberto da Costa, ofm

1.1 
Principais informações sobre a vida de São Luís


Estamos muito bem informados sobre a vida de Luís, através das várias biografias, escritas por contemporâneos seus, ou pessoas próximas a seus familiares. As principais informações nos foram transmitidas por seu amigo, confidente, e mais importante biógrafo, o leigo Jean de Joinville, que escreveu “A Vida de São Luís”[8]. Outra biografia foi escrita por Godofredo de Beaulieu, frade dominicano e confessor do rei, que lhe esteve muito próximo nos últimos vinte anos de sua vida. O capelão do rei, Guilherme de Chartres, Grão-Mestre da Ordem dos Templários também escreveu uma “Vida de São Luís”. Outra fonte importante é a vida escrita pelo franciscano Guilherme de Saint-Pathus, confessor da rainha Margarida de Provença, que se utilizou do inquérito papal para a canonização de Luís, para escrever a sua “Vida”[9]. Finalmente, outra obra sobre a vida de Luís foi escrita por Guilherme de Nangis, também confessor da rainha Margarida[10]. As biografias de Luís, para além das intenções políticas que as permeiam, nos fornecem importantes informações sobre a vida, as opções, o modo de agir de um homem que, colocado à frente da administração política de um reino, buscou pautar sua vida segundo os valores do Evangelho e dos padrões propostos pela Igreja de seu tempo. E o fez de modo tão perfeito, que chegou à honra dos altares.




[8] Jean de Joinville, Histoire de Saint Louis, edição de Natalis de Wailly. Paris: Librairie Hachette, 1921. Joinville escreveu a Vida 30 anos após a morte de Luís e ele mesmo morreu 47 anos depois da morte de São Luís, aos 93 anos. Esta biografia também foi utilizada pelo papa Bonifácio VIII no processo de canonização, em 1297. Não nos cabe aqui, dada a complexidade da matéria, fazer uma distinção historiográfica entre “biografia” e “hagiografia”. Utilizaremos, quando necessário, o termo “biografia”.
[9] Uma filha do rei pediu ao franciscano que escrevesse a biografia. Esta ficou pronta em 1303. Sobre Guilherme de Saint-Pathus; Carolus-Barre L., Guillaume de Saint-Pathus, confesseur de la reine Marguerite et biografe de Saint-Louis, Archivum Franciscanum Historicum, Firenze 1986, vol. 79, no1-2, pp. 142-152. 
[10] Guillaume de Nangis, Vie et vertus de Saint Louis, Librarie de la Société Bibiographique, Paris 1877.

Continua

Nenhum comentário: