quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

FRANCISCO DE ASSIS: MEDITAÇÃO E ORAÇÃO – Final


Tudo o que lembra a bondade de Deus leva Francisco de Assis à contemplação e à ação. Por isso, Francisco não tem lugar nem método fixo de oração, mas sim uma livre expressão em diversas formas. Vamos comentar brevemente algumas:

Retiro Franciscano: O retiro franciscano é a experiência eremítica. Recolher-se para colher. Ir para um lugar afastado, ficar um tempo e de lá sair. Sair dos rumores do tempo para meditar os atributos de Deus. No Carceri, no Monte Alverne, Fonte Colombo, ali nestes lugares encontrava espaço e tempo para silêncio e prece. O eremo não é lugar para ficar, mas sim para sair em direção a todos para anunciar as maravilhas encontradas ali.

Leitura e Meditação da Sagrada Escritura: Francisco de Assis fez da Palavra um grande Amor em sua vida. Traduziu literalmente a Palavra em sua vida. A seguia sine glosa, isto é, sem alteração. Ler, encarnar, viver a Palavra de um modo puro, concreto e simples.

Paixão de Cristo: Foi o seu mais rico livro de meditação pessoal. Onde o Amor de Deus é capaz de chegar! Descobrir este Amor, responder ao Amor e reconstruir-se a partir deste Amor.

Natureza:  Outro vasto texto de meditação de Francisco. Imagem nos olhos, Palavra nos lábios. Olhar e contemplar. Ver a grandeza de Deus nos detalhes de minerais, vegetais, animais, tudo na mais perfeita irmandade. Criaturas do mesmo Pai, vestígios da Beleza de Deus. Meditar passando pelo filtro da natureza e aí louvar, agradecer, extasiar, admirar. No coração fazer pulsar o Cântico das Criaturas.

Fraternidade: Expressão de nosso Pai comum. Lugar de Irmãos e Irmãs. Lugar de restaurar a vida com o jeito de Jesus. Servir o semelhante, alegrar-se com ele, confraternizar-se com ele.

Trabalho: Também é oração e meditação. Diz Francisco de Assis: “ Os irmãos, aos quais o Senhor deu a graça de trabalhar, trabalhem com fidelidade e devoção, de maneira que afugente o ócio, inimigo da alma; e não percam o espírito de oração e piedade, ao qual devem servir todas as coisas temporais”. (Rb 5).

Horas de Quarto: Para Francisco de Assis, a cela, ou o quarto não é de madeira, pedra ou tijolo, mas de carne e osso; e não se acha incrustada num convento, mas acompanha ocupante para onde quer que vá. Diz o Espelho da Perfeição: “É o nosso corpo a nossa cela, e a nossa alma se encerra nele como um eremita em seu cubículo para quietamente meditar e orar a Deus”.

Esta é meditação franciscana, que se faz de maneira espontânea no retiro, na natureza, na convivência fraterna, no trabalho, onde podemos e devemos encontrar a paz e a alegria. Paz de consciência, paz da ação de graças, paz da realização de participar do grande Amor de Deus, de ser irmão e irmã de toda humana criatura e de todos os seres.

FREI VITÓRIO MAZZUCO


Nenhum comentário: