quarta-feira, 16 de outubro de 2013

A MÍSTICA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS - 8



1.2 – O Amor como unidade de conhecimento e vontade

O ser humano, no seu pensar e agir, quer e deve procurar conhecer as causas últimas e a causa única de cada realidade, e agindo assim faz a metafísica, e vivendo assim descobre a mística: que é perguntar pela verdadeira natureza do Ser.

O princípio do Amor é a autocomunicação de Deus como conhecimento e vontade. A transcendência absoluta do espírito é o espaço que se abre para o “a priori” da revelação do Amor. Quando o conhecimento e a vontade se unem ao Ser, chega-se à experiência do Amor.

O amor é um modo como Deus revela a transparência de sua potência, de Si mesmo e da sua Criação; onde Ele mostra a capacidade de dar incondicionalmente o seu Ser. O ESPÍRITO INFINITO DE DEUS SE REVELA ATRAVÉS DE SEU AMOR CRIATIVO. No coração de tudo o que é, palpita o Amor de Deus.

Amar é afirmar a existência humana através da abertura a este Amor; é encontrar-se com o Amor como condição e princípio para o conhecimento. No coração do conhecimento está o Amor que nutre a vida. A mística significa conhecer, perceber e sentir, através do espírito, a luz que torna todo ser transparente e humano.

O ser humano é o ente que escuta a revelação do Amor Divino na medida que se abre, livremente, para a mensagem de Deus que se revela como Amor. É no Amor que se realiza a revelação divina que transcende o ser humano. O lugar da revelação de Deus é sempre naquele momento da história que em o ser humano ama; o amor é o lugar da transcendência. No Amor, o humano transcende o finito de sua própria matéria. A sensibilidade do ser humano vem de sua capacidade de transcender a matéria.

Continua

Nenhum comentário: