quinta-feira, 1 de março de 2012

A propósito do Jubileu de Santa Clara - VI

Não é um texto simples, tem a densidade dos místicos e o estilo próprio de uma literatura espiritual direcionada às contemplativas. É doutrina segura, experiência viva, maravilhosa fidelidade ao Senhor Jesus e a Francisco. É o coração de Clara , um aceno autobiográfico de uma vida que sabe que está deixando uma grande herança. Vejamos alguns trechos deste Testamento:

“(...) Reconhece a tua vocação. O Filho de Deus fez-se para nós o Caminho, que nosso bem aventurado pai Francisco, que o amou e seguiu de verdade, nos mostrou e ensinou por palavra e exemplo.”

“Pois quando o santo, logo depois de sua conversão, sem ter ainda irmãos ou companheiros, estava construindo a igreja de São Damião, em que foi visitado plenamente pela graça divina e foi impelido a abandonar totalmente o mundo, numa grande alegria e iluminação do Espírito Santo, profetizou a nosso respeito aquilo que o Senhor veio a cumprir mais tarde”.

“Nisso nós podemos considerar, portanto, a copiosa bondade de Deus para conosco, pois, em sua imensa misericórdia e amor, dignou-se contar essas coisas sobre nossa vocação e eleição”.

Imagem de Colantonio del Fiore

Continua

Nenhum comentário: