segunda-feira, 3 de outubro de 2016

FRANCISCO DE ASSIS E SEU CONTÁGIO DE AMOR


Mais uma vez a Festa de São Francisco de Assis, e cada ano, desde o Transitus no dia 03 até 04 de Outubro, a sua presença é sempre um momento celebrativo, reflexivo e provocativo. Ele é um grande apelo espiritual, uma espiritualidade contagiante que se adapta em vários jeitos do modo de viver de ontem e de hoje. Sua espiritualidade é razão e Forma de Vida, uma estreita ligação entre fé cristã e a vida quotidiana, o Evangelho na vida e a vida burilada pelo Evangelho. Ele vive a Fraternidade de um modo que ela reinvente as relações humanas entre si e com todos os seres.

Francisco de Assis viu na Encarnação um jeito de Deus humanizar-se com extrema humildade e simplicidade. Nós vemos em Francisco um modo de divinizar o humano, para que se encontre uma consistência em meio a tanta fragmentação. Deus desejou estar entre nós, Ele tem prazer de conviver entre nós, o mistério da Encarnação é um mistério gozoso, e Francisco de Assis fez a festa luminosa do Natal ser perene. Viver nos caminhos de Francisco é desejar uma vida fraterna que refaça o jeito de Deus morar na casa do humano.

Francisco de Assis teve bem clara a certeza de que o Senhor mesmo revelou o que ele deveria fazer. Ele é um convertido que deixa-se conduzir pelo Senhor. Fé e conversão não separam. Porque crê, Francisco abandona-se nos desígnios de Deus. Mudou o rumo da sua vida pois teve a certeza onde Deus o levaria pelos caminhos da Boa Nova. Muitos pensam que conversão é isto: eu era um bêbado e parei de beber. Conversão não é somente frear vícios, mas sim aceitar o fato de que sozinho não se pode fazer nada, e fazer com a vontade do Senhor.  Não é focar o eu, mas sim priorizar o modo como Deus ama, ampliando o eu em nós. Francisco de Assis fez o Amor de Deus amar radicalmente através dele e da oferenda da sua vida que se entregou por inteira ao fraternismo universal.

Francisco de Assis sonhou brilhar entre as pessoas de seu tempo, seduzir com a sua liderança a juventude de Assis, partir para as honras da Cavalaria Medieval e chegar à nobreza. Num determinado momento de sua vida fundiu seus sonhos com os sonhos de Deus. É um convertido que renuncia projetos dos costumes nobres de então para sonhar o que Deus sonhou para este mundo: Reino de Deus é casa reconstruída, é humanidade reconstruída é mundo reconstruído. Bens da terra passam e ele desapropriou-se de bens para buscar o tesouro eterno. Como não tinha mais olhar voltado para as atrações do material começou a ver melhor os despossuídos de cuidado. Vai aos pobres como um pobre, vai ao leproso como um abraço, vai a Cúria Romana como um mendigo pedindo para viver pedaços do Evangelho para conquistar a inteireza da Palavra que é Vida.

Francisco de Assis foi de Assis para o Oriente, para o Alverne, para as florestas, para as praças, para onde vivia sua fraternidade primitiva, foi por muitos lugares para mostrar um único lugar: a casa do Amor! Esta casa que deve ser restaurada onde quer que estejamos! Boas festas do Seráfico Irmão e Pai!

FREI VITÓRIO MAZZUCO

Um comentário:

Rivaldo R. Ribeiro disse...

Lindo texto Frei Vitório, temos sim que fazer lembrar desse Santo da Paz nesses tempos terríveis que a humanidade atravessa.
Realmente converter-se é entregar a Deus nossa maneira de Fé por inteiro, sou leigo mas sempre procuro lembrar a colegas e familiares da importância de São Francisco e tentar aplicar na nossas vidas o mais próximo possível do que ele nos ensinou.Amar o Amor. PAZ E BEM!
Com sua licença informo que vou publicar esse seu artilho no meu blog:
https://caminho-franciscano.blogspot.com.br/, porque eu não conseguiria escrever tão lindas palavras para comemorar o dia dos FRANCISCANOS.