quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

PROFECIA DA FAMÍLIA FRANCISCANA DO BRASIL - IX



3. A FAMÍLIA FRANCISCANA E SEU MODO PROFÉTICO DE SER RESPONSÁVEL

O que é ser responsável? Na raiz da palavra responsabilidade está o latim medieval: “spons”, que significa: assumir em vista de uma profunda união. É um esponsal místico com a vida. É profético casar com os projetos, casar com as verdadeiras escolhas. Casar com aquilo que está em minha alma. Amar a fonte e a raiz e encontrar-se com elas. Sem a fonte e a raiz não somos nada. Isto está na base de todos os pactos, de todos os comprometimentos, de todas as alianças. De “spons” vem resposta e responsabilidade. Na Idade Média havia uma mística que movia as ações: “Tuum semper videns principium!” = ver sempre o teu princípio!  Em Clara de Assis isto é dizer: “Não perca de vista seu ponto de partida!”

Ser responsável é dar-se por inteiro. Quando você se entrega por inteiro não sobra nada. Dá tudo como princípio da Pobreza. Você não é uma migalha. Quando se dá tudo torna-se totalmente livre, por isto responsabilidade e liberdade não se separam. “Spons” é  união profunda e duradoura; é corresponder continuamente a um compromisso assumido e não perder de vista que o laço que se quer assumir é a transformação da vida e da história por Amor. “Spons” é encantamento! Sem enamoramento não conseguimos viver!

Esta é a profética responsabilidade de criar uma nova identidade: ser sempre protagonista do Reino, tempo de transformação, é chegada a hora e é agora! Ser sujeito livre e responsável. O que isto significa?  Ser fiel ao que se acredita sem a mediação do mercado que não tem pátria e nem fidelidade. O mercado roubou até a alma da religião e fez dela a sua alma, por isso a nossa sociedade está encharcada de religião sem alma. Ser responsável é ser agente de mudanças e isto significa entrar numa forte espiritualidade. Não posso perder o sagrado que existe em mim! Empresas e instituições não podem sufocar a minha liberdade e responsabilidade, nem minha libido. Eu amo e isto é tudo! Faço por amor e não quero que nenhum sistema me adoeça. Vou usar bem o meu tempo e não deixar que ele faça um embotamento de experiências. Não se pode viver a descartabilidade de relações. Nem um envelhecimento precoce. Não somos mercadoria que vem com prazo de validade.

Continua

Nenhum comentário: