quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Reflexões Franciscanas - 18



41. Francisco de Assis povoa o mundo dos valores e virtudes; ele é um paradigma do comportamento humano e naturalmente convoca às maiores motivações. Ele é uma meta a qual sonhamos chegar, uma orientação para a vida. Das naturais virtudes que conquistou vivendo intensamente a sua juventude, até a mais transparente imitação de Jesus Cristo e a sua profunda união com Deus, presente em toda criação, a sua vida em fraternidade e os modelos de vida que incentivou, em tudo isto, Francisco é por si só uma pedagogia de valores humanos e espirituais que inspiravam a sua relação com as pessoas, com Deus e com todo ser criado. Francisco continua nos provocando, sobretudo em tempos como este que vivemos, onde existe uma desorientação no quadro ético dos valores, sobretudo no que se refere ao empenho cristão e religioso. Como escolher o que quero e o que Deus quer através de mim se as coisas não estão claras? A indagação de Francisco é sempre atual: “Senhor, que queres que eu faça?”. Que projeto tenho para a minha vida? Quais são os meus sonhos? Quais são as aspirações mais profundas? Os desejos? Os interesses? Os ideais mais autênticos que vivem na alma? Francisco foi um grande sonhador, por isso mesmo um grande realizador. Ele é um modelo e guia de uma escolha pessoal e convicta, um quadro de certezas, um equilíbrio entre a realização de uma vida à luz de valores transcendentes. Ele soube, como ninguém, a interiorizar os valores presentes no Evangelho. Se hoje queremos moldar um projeto pessoal de vida, precisamos de Francisco de Assis.

42. Ele nos ensinou que um processo de maturação humana e espiritual deve ser para todas as etapas da vida, é para sempre. Sua fala no final da sua vida é muito reveladora: “Vamos recomeçar, porque até agora nada fizemos!” Francisco começou escutando mais suas emoções, sentimentos, intuições. Escutar bem as intuições é escutar uma sensibilidade que salta de dentro para fora. Francisco percebeu atentamente tudo o que estava ao seu redor, os estímulos ambientais, a fala de todas as coisas. Francisco estava sempre atento as pessoas; elas não eram para ele um conglomerado de gente, mas expressões afetivas de aproximação e de encontro. O valor fraterno, a vida em fraternidade deve ser a motivação de cada dia, a personificação do ter tudo em comum, que é a pobreza; a partilha da vontade, que é a obediência; o espalhar as boas energias do Amor, que é a pureza de coração.

Frei Vitório
Imagem: Francisco de Assis, de Piero Casentini

Nenhum comentário: