sexta-feira, 22 de maio de 2009

HERMÓGENES HARADA, OFM


Faleceu ontem, às 18 horas, em Curitiba (PR), o meu Mestre de Franciscanismo. Está com nosso Pai São Francisco, louvando todos os detalhes da existência. Ele foi meu professor de Filosofia. Ele que me ensinou que é preciso ser mestre e não apenas um divulgador de conhecimentos. Ele que me disse que Francisco nos deu uma Experiência de Deus e que é preciso ser bem imitada, seguida, pensada, encarnada para se transformar numa boa espiritualidade. Foi ele que me disse que a Espiritualidade Franciscana é algo muito nobre, sublime, simples, vigorosa, arte pura, um espelho que deixa refletir a presença das coisas.

Foi ele que me ensinou que espiritualidade não é ciência mas vivência; um confronto íntimo com a interioridade subjetiva para estar melhor no comum. Ele dizia que Francisco foi à raiz do ser. Ele dizia que a espiritualidade não é outra coisa do que o cuidado, a cura, o amor do Espírito. Foi ele que falou tanto do discipulado do seguimento de Jesus Cristo que encantou Francisco e os seus. Foi ele que nos ensinou por vida, testemunho e modelo vivo que era: o quanto é preciso disciplina,conquista, exercício, busca do essencial, precisão e determinação se quisermos refazer em nós o caminho do seguimento.

Fico imaginando daqui o Hermógenes Harada lá, com nosso Pai Francisco, trocando idéias sobre o corpo a corpo da energia concentrada, sobre a experiência, sobre o diálogo consigo mesmo, sobre a ausculta do entendimento e do atendimento da própria identidade. E São Francisco vibrando com sua paixão pela Regra de Vida, com suas lendas orientais, e com sua receita de chás orientais para ajudá-lo a aliviar a dor dos estigmas.

Louvado sejas, meu Senhor, pelo pensamento eterno do Frei Harada!

8 comentários:

Fred Félix disse...

Frei Vitório, lindo texto em homenagem ao Frei Harada.
Pelo que li, perdemos um verdadeiro patrimônio da nossa família franciscana.
Que ele possa ser recebido com honra nos céus.
Paz e Bem.

Marchello disse...

Uma lagrima rolou dos meus olhos;
Um silêncio invadiu meu coração;
Um não sei o quê, que vem não sei de onde, e fala pela brisa que suavisa meu rosto;
Um sentimento de beleza;
Simplismente sendo.

Frei Hermógenes, chamado de Mestre do Franciscanismo...Por um amigo intimo, um amigo generoso, um amigo que é parte dele...E que revela a parte dele ainda em cada um e cada uma.

Não saberia dizer que a Filosofia em nada mim fez, não fosse Frei Harada a dizer sempre para deixa-la ser somente Filosofia.

Agora restam apenas trâs coisas; a primeira dela a poesia,a segunda a arte e a terceira o sendo do Frei Harada, e a maior delas porém é o sendo, pois é ao mesmo tempo poesia e arte que vigora ainda depois do que chamam de morte.

Gratidão da minha parte...
Obrigado pela partilha...
Sutilezas para continuarmos a fazer o caminho.

Frei Cleverson OFM Conv disse...

É...aqui na terra tínhamos um grande sábio e convicto provocador irmão. No céu ele continua sendo tudo isso, só que agora está intercedendo por todos nós para que possamos viver na cordialidade da existência, com o jeito franciscano de temperar o mundo!!!

Obrigado por tudo Frei Hermógenes Harada!!!

Padre Márcio Luiz Castanharo disse...

Obrigado Frei Hermógens! Obrigado Frei Hermógens! Saudades do mestre que em suas Palavras e testemuho estava explícito o AMOR e que nos colocava a caminho do discipulado do Cristo e do encontro dos Deus Criador. Com amor a este nestes dias que mesmo em seu silêncio me ensina a glorificar, a adorar e amar o Amor que não é Amado. um fraterno abraço a todos os frades que sem receios, com aquele júbilo santo, deve sempre honrar este que foi mestre do amor. Padre Márcio Luiz (Castanharo).

N. Jaeger disse...

Encontrei-me com o Frei Hermógenes duas ou três, anos atrás, no Convento Boaventura, onde lecionavamos. Desde então não mais o vi, porém nunca esqueci daquela figura doce e sensível.
José Luiz Maranhão

Instrutor Cascata disse...

Muito atento ao modo franciscano de Frei Hermógenes Harada tratar acerca da existência e, acima de tudo, demonstrá-la a nós, na época jovens estudantes de filosofia em Rondinha, no período de 1998 a 2000, tornei-me um grande companheiro dele bem como um humilde discípulo; com a graça de Deus, pude muitas vezes aparar os seus cabelos grisalhos no quarto onde ficava a barbearia, no módulo 3, por meio de meu ofício de cabeleireiro; foi numa das tardes de sábado que frei Hermógenes, no terceiro ano, presenteou-me com uma flauta em madeira tenor, de cor preta, preciosa princpalmente em valor, que muitas vezes pude utilizá-la nas celebrações daqueles anos; hoje esta flauta serve a muitas crianças e adolescentes que desejam aprender ou desenvovler seus dons musicais na casa de cultura de Xaxim, Santa Catarina, minha terra. Além desses fatos marcantes, pude registrar alguns de seus ensinamentos filosóficos em meu trabalho de conclusão de curso sobre hermenêutica, em vista do término do curso de Filosofia, bem como muitos outros ensinamentos de um verdadeiro mestre samurai franciscano ainda estão presentes no meu dia-a-dia como professor e praticante de artes marciais, no que ele também me incentivou nos anos em que pudemos conviver em Rondinha - Campo Largo - PR. Paz e Bem Frei Hermógenes.
Marcelo Pertussatti
Bacharel em Filosofia pelo Instituto Francisco São Boaventura - hoje integrando a UNIFAE de Curitiba
Licenciado em Filosofia pela UNOCHAPECÒ
Especialista em Filosofia pelo Instituto Packter de Porto Alegre
Cursando 6º Período em Educação Física na UNOESC Campus Xanxerê - SC
Instrutor de Capoeira
Integrador da Escola de Capoeira Comunidade Brasil Volta ao Mundo
www.comunidadebrasilvoltaaomundo.blogspot.com

Roberto Neves Belleza disse...

Estudei no "Sagrado" - Instituto Filosófico-Teológico Franciscano de Petrópolis, entre 1978 e 1983. Neste período, participei de muitos seminários com Harada. Introduziu-me nos desafios da reflexão filosófica. Nossas conversas fora da aula, em seu quarto, sentados numa esteira sobre o chão, olhando sua cama lá no auto, por cima das estantes e seus livros. Dele, numa das conversas, ganhei "O Tratado do Desespero", de Kierkgaard. Na primeira página, com sua letra, o nome Harada.
Roberto Neves Belleza,
Belo Horizonte-MG

benedito disse...

Somente agora, fiquei sabendo da passagem Grande Irmão Frei Harada. Fui seu aluno no Instituto Franciscano SãoBoaventura, Rondinha Paraná. É com grande pesar que deixo aqui minhas homenagens a este grade homem de Deus.
Benedito Paula Rodrigues.
04/07/2009.