segunda-feira, 28 de julho de 2008

ALTERIDADE: UM OUTRO OLHAR POSSÍVEL


A Psicologia, a Psicanálise e a Antropologia entendem que o ser humano é, fundamentalmente, um nó (um conjunto articulado) de relações: para dentro (imanência) para fora (transcendência) e para os lados (alteridade). Quanto mais profunda e intensamente o ser humano buscar viver estas relações... nesta medida será a expressão da sua mais autêntica humanidade. Na linguagem do Espírito (mística e espiritualidade), chamamos esta tarefa humana de Reconciliação (conciliar sempre de novo, achar o lugar na concha). É um processo de humanização e divinização que atinge a totalidade da existência. Fazer um encontro entre o Humano e o Divino. Ao longo de toda a sua vida, Francisco de Assis viveu esta experiência pascal (passagem) de reconciliação com todas as camadas da existência. Foi após um longo caminho de purificação interior, de renúncia, de integração, que ele tornou-se um ser reconciliado. A sua vida foi uma contínua relação com todas as dimensões da existência: a interior (consigo mesmo), a superior (com o Sagrado) e com a exterior (com a natureza).

Este texto continua amanhã com o subtítulo: "Reconciliação Consigo Mesmo"

Nenhum comentário: