quinta-feira, 10 de março de 2011

O Jardim

Com as mais diversas formas geométricas: a circular revelando a totalidade do cosmos, a vida sem fim; o quadrado ou retangular como estabilidade e os quatro pontos cardeais; enfim, a precisão das formas que mostram a ordem em oposição ao caos; fechado com cercas ou muros, para evocar o mundo interior e exterior; cada jardim é um reino que representa o cósmico, o material, o psíquico, o consciente e o espiritual. Ele é o espaço que precisa ser cultivado, desenvolvido, dirigido, lugar da transmutação, lugar onde o ensinamento pode ser encontrado. É o sacramento da presença do Ser Divino. O Éden, o Paraíso, o Shambala,  o Shekinah, o Shangri-lá, o Reino, presença sagrada que transforma o mundo na unidade e na multiplicidade. O centro do mundo. O lugar ideal de onde saímos, para onde voltaremos, o lugar prometido, e a eterna saudade de algo que perdemos e precisamos, dia a dia, reconquistar.
Publicado na Folhinha do Sagrado Coração de Jesus 

2 comentários:

M. Auxiliadora disse...

Você é simples e profundamente humano, cheio do encando da vida. Ao ler seus artigos é como se eu o ouvisse e visse você falar, pronunciar cada palavra escrita nos textos. Você sabe que te admiro muitooooo, Frei Vitório, meu amigo. Obrigada por fazer parte de minha vida. Paz e bem! Abraços carregados de saudades, Dôra

Anonymous disse...

Frei, gostaria de enviar uma oferta e discutir sobre seu texto. o Sr. poderia fornecer-me um endereço de correspondência? Um abraço fraterno.