terça-feira, 6 de outubro de 2009

ABERTURA DO MÊS FRANCISCANO NA USF

VIII Centenário da Fundação da Ordem
“Compreender Francisco e compreender a nós mesmos.”
 

Com essa divisa, iniciou-se a celebração do Mês Franciscano na USF, campus Bragança Paulista, no dia 1º de outubro/2009, às 19h30 no salão nobre. Participaram Alunos e Professores de turmas de Administração, Ciências Contábeis, Direito, Educação Física, Processos Gerenciais, Logística e convidados.

Preparado com carinho pela Pró-Reitoria Comunitária, o programa cumpriu os seguintes números:

1. Saudações do Vice-Reitor no exercício da Reitoria Frei José Antonio Cruz Duarte; do Prof. Evandro Luis Amaral Ribeiro, Pró-Reitor Comunitário e do Prof. Joel Alves de Souza Jr., Diretor do Campus. Realçaram todos o dom do tempo presente na busca de parâmetros educacionais , espelhos de vida, sob a inspiração da transcendência e da fraternidade do Patrono São Francisco de Assis.

2. Apresentação da Orquestra Experimental Mirim “Arte e Vida”, da ONG “Viva Vila”, de Bragança Paulista. Sob a regência do Maestro Roberto Marin, as crianças e adolescentes executaram com muita originalidade a conhecida melodia da Oração da Paz, do jesuíta paraguaio Pe. Irala; em seguida, peças simplificadas, estilo “clássicas populares” – como se comentou – , de Schubert, Bach e Beethoven. Muito aplaudidos pela graça e pelo toque pedagógico, em se tratando, sobretudo, de crianças e pré-adolescentes.

3. Frei Vitório Mazzuco, Moderador da Formação Permanente, Vice-Provincial e
Vice-Presidente da Mantenedora, brindou os atentíssimos presentes com a palestra “A Graça do Carisma”. Desdobrou, em power-point, esse subsídio nº 6 da Formação Permanente da Província da Imaculada, mais o nº 7: “800 Anos do Movimento Franciscano”. Expôs como revitalizar a Espiritualidade, o Carisma Franciscano mediante o itinerário de revitalização proposto no triênio da celebração do VIII Centenário da Ordem, na aprovação da Regra de Vida pelo Papa Inocêncio III: a escuta, a conversão e o discernimento evangélico – mediante as obras, traduzir hoje a capacidade de projetar a vida pessoal fraterna segundo o Evangelho – restituir o dom da vocação através de palavras e da vida.

Encarnando o tema, exortou a comunidade universitária, as famílias e a cada um/a dos presentes, que é preciso “reviver o sonho, reacender a chama do carisma, o sopro do Espírito, que um dia irrompeu em Francisco e Clara”, para sermos “presenças evangélicas, fraternas, densamente humanas”, recriando hoje uma história parecida com o que eles viveram nos distantes primórdios”.

A noite franciscana continuou, no Espaço Cultural, na abertura da Exposição “Abstrações da Poética Franciscana nas Esculturas da Artista Ana Magalhães. Segundo Frei Pedro Pinheiro, “assim como um dos temas mais abordados na história da arte, é o santo de Assis, aqui também, ele é o mote da exposição onde, cada trabalho nos impressiona pela delicadeza conferida ao material bruto, construído com habilidade feminina de força misteriosa, admirável pelos caminhos da abstração que transita e pelos quais nos convida a percorrer através desta importante mostra, de mãos dadas com São Francisco”.

Profa. Dalva Leme
Pró-Reitoria Comunitária








Um comentário:

Anônimo disse...

Caro Frei Vitório, Paz e Bem !!!
Tive a oportunidade de assistir sua palestra na USF Bragança Paulista dando a abertura no mês de Francisco de Assis. O senhor mencionou uma frase que está me fazendo pensar muito: "Somos um ser espiritual, vivendo uma experiência humana". Na ocasião o senhor mencionou o nome do Filósofo. O senhor poderia me enviar esse nome? Pela atenção, obrigado. Marcos Naitzk - marcos@naitzk.com.br