segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Se correr o bicho pega?


Quem de nós não conhece este dito popular? Quem de nós já não correu de um cão raivoso e provocador, de um ganso irritado, de um boi mais exaltado? Não tem muito folclore nisto não; mas sim a verdade de que se colocarmos em perigo o afeto temos que sofrer as conseqüências dos sustos. Para cada ação de agressividade e indiferença pode haver uma reação de violência e destruição. Às vezes usamos a provocação de raiva e ódio e nos jogamos uns contra os outros. Não é melhor juntar as forças do bem? Não é melhor unir na harmonia e na entre-ajuda? Não é melhor o afago do que o chicote? Não é melhor o colo do que expulsar do convívio? Vamos ter mais controle dos atos! Por isso gosto demais da ampliação do dito popular citado que um dia ouvi: “Se correr o bicho pega; se ficar o bicho come; mas se juntar o bicho foge!” É a arte da integração!
Texto publicado na Folhinha do Sagrado no dia 28 de setembro de 2008

Um comentário:

azoby disse...
Este comentário foi removido pelo autor.