quinta-feira, 26 de junho de 2014

BELOS PENSAMENTOS DAS FONTES FRANCISCANAS - 6


A oração é princípio, meio e fim de todo bem: a oração ilumina a alma, e por ela discerne a alma o bem e o mal. Todo homem pecador deveria fazer esta oração continuamente, cada dia, com fervor de coração; isto é, suplicar a Deus humildemente que lhe dê perfeito conhecimento da sua própria miséria e dos seus pecados e dos benefícios que recebeu, e recebe dele, o bom Deus. Mas o homem que não sabe orar, como poderá conhecer Deus? E todos aqueles que se devem salvar, se são pessoas de verdadeira inteligência, é necessário por fim que se convertam à santa oração.” (Dos Ditos de Frei Egídio)


“'Pai de bondade, queria saber que coisa é a contemplação?’ Então Frei Egídio disse: “Parece-me que o grau da contemplação seja um fogo divino e uma devoção suave do Espírito Santo, e um arrebatamento e suspensão da mente inebriada na contemplação do gosto inefável da doçura divina; e um doce e quieto e suave deleite da alma, que está suspensa e arrebatada com grande admiração de gloriosas coisas supernas celestiais, e um abrasado sentimento intrínseco daquela glória celestial e inenarrável.” (Ditos de Frei Egídio)


“Afastado do Senhor pelo corpo, o homem de Deus, Francisco, procurava fazer seu espírito estar presente no céu. Concidadão do anjos, só estava separado deles pela parede do corpo. Sua alma inteira tinha sede de seu Cristo, e a ele dedicava não só todo seu coração, mas também todo o seu corpo.” (2Celano 61,94)

Continua 

segunda-feira, 23 de junho de 2014

BELOS PENSAMENTOS DAS FONTES FRANCISCANAS - 5

“Quão felizes e benditos são todos aqueles e aquelas que amam o Senhor “de todo coração, com toda a alma, com toda a mente e com todas as forças” e ao próximo como a si mesmo, odiando seus corpos com seus vícios e pecados recebendo o corpo e o sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo e produzindo dignos frutos de penitencia. Felizes e benditos os que assim fazem e assim perseverem, porque “sobre eles repousará o espírito do Senhor” que neles fará morada. Estes são filhos do Pai celeste, fazem as obras do Pai, são esposos, irmãos e mães de Nosso Senhor Jesus Cristo.” (Carta a toda Ordem 1-3)


 “Somos esposos, quando por virtude do Espírito Santo, a alma fiel se une a Nosso Senhor Jesus Cristo. Somos irmãos de Cristo, quando fazemos a “vontade do Pai que está nos céus”; e somos mães, quando o levamos em nosso coração e em nosso corpo por virtude do amor divino e de uma pura e sincera consciência; nós o geramos por uma vida santa, que deve brilhar com o exemplo para os outros.” (Carta a toda Ordem 4-7)

 “Como é glorioso, santo e sublime ter um Pai nos céus! Como é santo e dileto, agradável, humilde, pacifico, suave, amável e sobretudo desejável ter tal irmão e tal filho: Nosso Senhor Jesus Cristo. Ele entregou sua vida pelas ovelhas e orou ao Pai dizendo: “Pai Santo, conserva em teu nome” “aqueles que me deste no mundo; eram teus e os destes a  mim.” (Carta a toda Ordem 8-9)


Continua

segunda-feira, 16 de junho de 2014

BELOS PENSAMENTOS DAS FONTES FRANCISCANAS – 4


“Muito deve ser amado o amor daquele que muito nos amou.” (2 Cel 196,9)


“A suave mansidão com a elegância dos costumes, a paciência e a amabilidade acima da medida humana, a generosa liberalidade acima da disponibilidade dos bens, virtudes com as quais o adolescente era visto crescer como com indícios certos de boa índole, algumas pareciam ser prelúdios de que no futuro uma mais copiosa profusão da bênção divina haveria de ser derramada sobre ele” (Legenda Maior, 1, 7-8)

“A partir destes graus das virtudes naturais, foi levado a tal graça” (Legenda dos Três Companheiros 3,3)

Continua

quarta-feira, 11 de junho de 2014

BELOS PENSAMENTOS DAS FONTES FRANCISCANAS – 3


“Toma o teu caminho, irmão mosca, porque queres comer o suor de teus irmãos e estar ocioso na obra de Deus. És semelhante ao irmão zangão  que, não aguentando o trabalho das abelhas, quer por primeiro comer o mel” (2 Cel 75, 4- 5)


“E assim, o espírito de Francisco derretia-se para com os pobres e, aos que não podia estender a mão, oferecia o afeto”. (2Cel 83, 3)

“Rezando nas florestas e nos lugares solitários, enchia os bosques de gemidos, banhava os lugares de lágrimas, batia com a mão no peito e aí, encontrando como que um esconderijo mais oculto, conversava muitas vezes com palavras com seu Senhor. Aí respondia ao Juiz, suplicava ao Pai, conversava com o Amigo, divertia-se com o Esposo” (2 Cel 95, 1-2)


“Assim, totalmente transformado não só em orante, mas em oração, dirigia toda a atenção e todo o afeto a uma única coisa que pedia ao Senhor” (2 Cel 95, 5)

Continua 

segunda-feira, 9 de junho de 2014

BELOS PENSAMENTOS DAS FONTES FRANCISCANAS – 2


“Pasme o homem todo, estremeça o mundo inteiro, e exulte o céu, quando sobre o altar, nas mãos do sacerdote, está o Cristo, o Filho de Deus vivo! Ó admirável grandeza e estupenda dignidade! Ó sublime humildade! Ó humilde sublimidade: o Senhor do universo, Deus e Filho de Deus, tanto se humilha a ponto de esconder-se, pela nossa salvação, sob a módica forma de pão! Vêde, irmãos, a humildade de Deus e derramai diante dele os vossos corações; humilhai-vos também vós, para serdes exaltados por ele. Portanto, nada de vós retenhais para vós, a fim de que totalmente vos receba aquele que totalmente se vos oferece” (Carta a toda Ordem, 26-29)

“Começa a transformar-se em homem perfeito e de uma pessoa passa a tornar-se outra”
 ( 2Cel 7, 1) 


“O bem-aventurado pai, elevado acima das coisas do mundo, dominara com admirável poder tudo o que havia na terra, visto que, pondo sempre o olho do intelecto diante da luz suprema, sabia por revelação divina não somente as coisas a serem feitas, mas também predizia muitas coisas com espírito de profecia, perscrutava os segredos dos corações, conhecia as coisas ausentes, previa e anunciava as futuras. Os exemplos provam o que dizemos” (2 Cel 27, 1- 2)

Ludovico Cardi, pintor itaiano, conhecido como Cigoli, 1559 

Continua


quinta-feira, 5 de junho de 2014

BELOS PENSAMENTOS DAS FONTES FRANCISCANAS – 1




  • “Aqueles que foram constituídos acima dos outros se gloriem tanto deste ofício de prelado como se tivessem  sido destinados para o ofício de lavar os pés dos irmãos” ( Admoestações IV,2)


 “Presta atenção, ó homem, à grande excelência em que te colocou o Senhor Deus, porque te criou e te formou à imagem do seu dileto Filho segundo o corpo e à sua semelhança segundo o espírito” (Admoestações V,1)

  • “Onde há caridade e sabedoria, aí não há nem temor nem ignorância. Onde há paciência e humildade, aí não há ira nem perturbação. Onde há pobreza com alegria, aí não há nem ganância nem avareza. Onde há quietude e meditação, aí não há preocupação nem divagação. Onde há temor do Senhor para guardar seus átrios, aí o inimigo não tem lugar para entrar. Onde há misericórdia e discernimento, aí não há nem superfluidade nem rigidez” (Admoestações XXVII )



Continua