sexta-feira, 20 de março de 2009

FRANCISCANAS PALAVRAS – 3


17.Francisco é um homem cheio de encontro, de amor, de brilho, sem cair num pieguismo.

18. Servo que não é bom não dá conta. Ser Servo não é só ter a intenção de servir, tem que servir bem! O medieval não se justifica pela intenção mas pelo persistente trabalho de ser bom. Francisco nos ensinou que um raio apenas, do Irmão Sol, é um bom servo.

19. Não diria São Francisco: “Como Deus pode permitir uma coisa dessa?!” Mas ele diria: “O que Ele está querendo dizer com isto?”

20. A função de um Ministro ou Ministra da Fraternidade não é de censurar, mas de remeter à Inspiração.

21. É preciso ler com seriedade os textos das Fontes Franciscanas, porque eles sustentam gerações e gerações de Fraternidades.

22. Francisco tornou-se espiritualmente adulto e grande sem mesquinharias.

23. Francisco nos ensinou que a Devoção se alimenta de Deus e não de sentimentalismo.

24. Porque o Amor é um Valor Absoluto que precisa ser abraçado, Francisco saiu pelas estradas da Úmbria bradando: “O Amor não é amado!”

segunda-feira, 16 de março de 2009

FRANCISCANAS PALAVRAS - II


9. Francisco, ao dispor-se à vida, ao buscar o que ele mesmo não sabia, deixou-se conduzir por um real confronto com o Evangelho e assim foi conduzido ao que procurava.

10. Ser Franciscano é ter paixão pela Paixão do Senhor.

11. Este é o modo de ser natural de Francisco: pródigo, nobre, jovial, cordial, magnânimo, generoso, simples e amigo.

12. Francisco é uma vontade boa bem trabalhada.

13. Com São Francisco vamos aprender a ouvir uma inspiração e encontrar em São Damião o nosso chão.

14. É difícil fazer aparecer o modesto que é a força de Francisco; nós sempre tendemos à uma interpretação tecnológica, aclesiológica, teológica, acadêmica demais.... e ficamos longe da sua vivência.

15. Usar um hábito, cortar cabelos à moda da antiga tonsura, jejuar, vestir-se de pobre só porque São Francisco apresentava-se assim não é interessante para nós modernos. O mais importante é entender a Força Originária que está aí.

16. Francisco permaneceu porque tinha consciência historial. A pertença historial gera força, coerência, pertença à uma grande família.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Coletâneas de um modo de Pensar Franciscano



Nas minhas andanças por aí, espalhando o modo franciscano de ver a vida, não posso fugir do fervor das palavras. Palavras são provocações e desafios. Escrever e falar é a maior responsabilidade. Ao refletir o franciscanismo, sempre tem alguém coletando a fala. Muitos me pedem: “Frei repete isto novamente!” . Pensar franciscanamente é elaborar sendas para a humanidade. Ajuntei curtas frases que andei falando ou escrevendo. Divido com vocês. Se quiserem usar, fiquem à vontade! O saber franciscano é perceber que não sabemos nada. “Sábios são aqueles que dividem e duvidam e não aqueles que têm certeza”. Então, vamos dividir! Nem sei como chamar este bloco de idéias que quero publicar neste blog... São Coletâneas de um modo de Pensar Franciscano. De olho na vida e na fala de Francisco de Assis aprendi com ele a vigor do Espírito e da Vida, e na sensibilidade vital de sua percepção, ir além da superfície da realidade, para acolher a admiração, o espanto, a alegria, o amor, a reverência, o cerne, o coração, a vida dos seres, e estas coisas todas que ele nos ensinou...

FRANCISCANAS PALAVRAS

1. São Francisco é encarnado até o pescoço no Infinito!

2. O grupo primitivo franciscano não fez fraternidade através da simpatia pessoal. Fez vida fraterna pela escuta comum de uma séria convocação para um viver exigente.

3. Viver franciscanamente é despojar-se de qualquer sofisticação. É repetir continuamente gestos de generosidade e acreditar numa Novidade Originária.

4. Francisco nos ensinou que servir é algo divino. Para ele, o próprio Deus é o Grande Servo do Universo.

5. Ser franciscano não é ter padrão fixo, mas buscar afinamento com o melhor.

6. Francisco nunca foi uma pessoa perturbada porque nunca perdeu a limpidez da busca ( cfr. A Perfeita Alegria )

7. É preciso intuir nas Fontes Franciscanas um grande princípio de uma Nova Humanidade. 8. Francisco via no Cavaleiro Medieval um arquétipo do Ideal Humano, a descrição ideal de um tipo humano caracterizado pela Nobreza de Alma: honradez, coragem e cortesia.

8. Francisco via no Cavaleiro Medieval um arquétipo do Ideal Humano, a descrição ideal de um tipo humano caracterizado pela Nobreza de Alma: honradez,coragem e cortesia.

quinta-feira, 5 de março de 2009

No Ser Mulher, uma intensidade de vida


No Ser Mulher tudo acontece no espaço da interioridade. Nas evidências relacionais ou nos conflitos, a Mulher precisa de tempo para dominar os estragos feitos por uma união sem plenitude. Ela é o ser que ama num abandono completo. O Ser Supremo fez o Ser Mulher nos detalhes de corpo, passos, pele, e traços no ritmo e harmonia; gestos de delicadeza, menos rígida, mais vibrante. Ela tem um lado mais voltado para a sensibilidade que faz com que seus aparelhos sensoriais sejam receptores mais finos. Esta é a sua grande riqueza! Coloca-se com mais rapidez no lugar do outro e da outra, faz unidade, compreende e penetra os mistérios humanos, analisando em detalhadas impressões o que alguém ou um grupo humano tem a dizer e revelar.

No Ser Mulher há uma prudência maior no que deve ser dito ou não dito, feito ou não feito. É mestra da cortesia, da polidez, das boas maneiras. Apieda-se, simpatiza, dedica-se, sofre e esquece de si mesma. Seu jeito estende-se às coisas: à delicadeza de um tecido, ao corte de uma roupa, à uma bijouteria, colar, anéis, camisetas, cores, flores, arranjo de um lugar, à forma de um objeto, paisagem, música. Tudo o que emoldura as coisas tem para o Ser Mulher importância e influência, e toca a sua alma. O Ser Mulher não é insensível a nada! Ela sofre as pressões do ambiente, vibra e troca de humor segundo as forças e impressões do momento; revela-se de um modo transparente. Não gosta de solidão e isolamento. Os rumores da sociedade, das opiniões, das notícias, da moda, a afetam. Cobra atenção e presta atenção. Tem força de sedução, olha para ser vista, prende para se libertar, entrega seu destino às grandes verdades. É decidida, profética, resolve, decide, revoluciona, faz, pensa, organiza de um modo prático, belo e simpático. Gosta de sentir e contemplar a importância do que executa. Tem memória pra não esquecer festa de ninguém. Imaginação, análise, pormenores, observação, faz com que dê atenção às particularidades, as mais leves nuanças. Tem busca e perspicácia espiritual.

No Ser Mulher uma dose a mais de participação e comunhão com os seres e com as coisas. Um ser humano total, um ser espiritual profundamente humano. A instintiva disponibilidade, o florescer contínuo, a arte de amar, provoca o Ser Homem ao Amor. Ela não admite que Amar seja uma brincadeira ou uma camaradagem temporária. Ela dá o seu Amor na medida que é abandono, confiança, oferenda de si, dom definitivo, inteireza. “Como posso amar este pedaço de carne se não amo o homem inteiro?” ( Simone de Beauvoir). Submete a sexualidade às exigência do coração e diz que o homem deve saber disto antes de amar.

No Ser Mulher o Ser Supremo fez o milagre de sentir um Ser Humano, outro que ela, como sendo sua própria carne; a fez próxima da Fonte da Vida, a fez Mãe! A Mulher recebe promovendo, age com o coração, faz completando, realizando o acabamento íntimo e artesanal dos seus e da vida. Concentra-se em criar vida ao redor de si e aumenta a beleza da vida. Tem a maravilhosa capacidade de voltar-se para o bem. Acorda no homem o melhor do humano que adormece nele e sem a qual construiria um mundo mais rude e fechado. Dá uma tonalidade mais cordial até às coisas mais frias como um trabalho extremamente burocrático.

No Ser Mulher há uma tendência conciliadora, um centro mais definido do ser humano. Não assiste a vida passar, mas vai junto. Face ao homem, exerce o fascínio de tornar-se um ideal. Mas no Amor faz uma escolha mais espiritual. O próprio Deus quis tê-la como colo e Maria de todos os lugares sagrados. A história real dos mitos a fez Deusa. Por tudo isto e por muito mais, este Ser Mulher bem que merece este dia celebrativo para lembrar o contínuo dia a DIA DA MULHER sempre cuidando incansavelmente de nossa vida!
Imagem: "Retirantes", de Portinari

segunda-feira, 2 de março de 2009

Ordem Franciscana, 800 anos - II


Francisco de Assis escreve no seu Testamento: "Depois que o Senhor me deu irmãos, ninguém me mostrou o que eu deveria fazer, mas o Altíssimo mesmo me revelou o que eu deveria viver" (Test 14-15). Hoje, nós fazemos projetos, planos, planilhas que antecedem a obra. Construir algo é colocar tudo, primeiramente no papel, depois fazer. Com Francisco deu-se o contrário. Longos anos de conversão, mudança de mentalidade, e, sobretudo, mudança de lugar. Anos de discernimento e prática concreta do Evangelho. Da solidão dos bosques, cavernas e êremos; do mais puro convívio fraterno e proximidade junto aos pobres e da pobreza nasce o que vai ser escrito depois. A revelação antecede a construção do fazer da Ordem e sua inspirada Regra de Vida.

Texto publicado na Folhinha do Sagrado Coração de Jesus, no dia 3 de março de 2009