sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Paz, unidade e fé


A alma humana é naturalmente religiosa. Mesmo que algumas pessoas procurem suprir isto refugiando-se num ateísmo professo, a fé no transcendente refugia-se no inconsciente. É uma questão de identidade humana. Ser ou não ser significa desvendar mistérios. Isto é que une a raça humana. A busca do Espírito pode trazer uma força unificadora e fazer com que a humanidade possa viver uma unidade coerente. Se dialogassem na única força que os une, judeus, cristãos, muçulmanos e hindus não dariam um exemplo ao mundo de que a Paz vem da grandeza da fé que está no coração? Que as religiões aprendam, uma com a outra, onde buscar a fonte da harmonia.

FELIZ NATAL!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Solidarizar-se é relacionar-se


Paz não é romantismo, nem fruto de momentos de auto-ajuda, relax, terapias e preces. “Ah! Estou tão em paz comigo mesmo!” Claro que se o eu está bem o comum vai melhor. A verdadeira paz é solidária. Não olha só para si, mas é includente. Religião que resolve apenas o problema do eu desaparece na história. A verdadeira religião anuncia um amor que sai dos limites do eu, não exclui ninguém e abraça a salvação da história. Ninguém acredita num amor que é indiferente ao sofrimento da humanidade. Relacionar-se é ser humano cristão perfeito.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Paz e igualdade


Paz é um valor universal. Que todos os credos busquem a paz, o não perder o que é bom e ganhar o que for melhor para todos. Assim honramos um único Deus, geramos prosperidade para todos os povos, segurança para todas as formas de governo. Hoje brigamos muito por estruturas, por ideologias partidárias, por limites territoriais, por recursos naturais e tecnológicos e diferenças culturais e raciais. Mas uma mística que leve a uma harmonia essencial de todas as formas de religião e governo pode nos dar uma luz. Mais mística e menos conflito. Mais prece universal e menos tensão. Mais profundidade e menos mediocridade. A paz nivela a todos num valor maior.

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Solidariedade contagiosa


Renasce em toda a parte a solidariedade, este valor que nos lança para fora de nós mesmos. Quem sai de si e busca soluções mergulha nas dificuldades dos outros e diminui a própria dificuldade. O solidário percebe a vida do outro e da outra, uma vida precária, insalubre, sem expectativa, sem graça, sem possibilidades, sem inclusão. O solidário muda sua consciência, sua percepção, aguça a sua sensibilidade e o conceito de dignidade, amplia o senso de pertença comunitária e se mobiliza. Faz das necessidades do outro e da outra a sua causa, encontra o sentido da cooperação, do amor, da coletividade, da comunhão, de partilhar tempo, competência e coração.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Paz, solidariedade e justiça


Lutar pela Paz é ir contra todo poder e força usados para destruir a vida. A humanidade cresceu em recursos técnicos e científicos, mas distribuiu mal tudo o que conquistou. Doenças que seriam curáveis continuam matando, a fome aumenta, o progresso é para poucos, ainda há bombas, massacres, preconceitos e atentados. Nos comunicamos com o mundo por satélite e ignoramos a vida do próximo mais próximo. Existir não depende apenas de recursos materiais, porém da fraternidade, paz, solidariedade e justiça. Recordemos Martin Luther King: “Temos de aprender a viver juntos como irmãos ou pereceremos juntos como loucos”.

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

A FraternidadeEcumênica


No ano 2000 tivemos a primeira Campanha da Fraternidade Ecumênica com o tema “Dignidade Humana e Paz”; agora, as igrejas, os movimentos, pastorais se unem, convocam todas as denominações cristãs e todas as pessoas de boa vontade a se unirem na prática da Solidariedade e na concretização da Paz. O objetivo é o mesmo da eterna motivação evangélica: o encontro fraterno de todos os cristãos, o conhecimento da situação de vida do nosso povo e restabelecer a ordem onde se espalha a miséria, a violência e a exclusão. Fraternidade e partilha. Sinais vivos de amor e reconciliação para fazer valer a Paz do Senhor.